Destaque da sessão ordinária foi a ampliação da estrutura de pessoal do Poder Judiciário | Foto Alesc/Divulgação

Destaque da sessão ordinária foi a ampliação da estrutura de pessoal do Poder Judiciário | Foto Alesc/Divulgação

Os deputado aprovaram na sessão desta terça-feira (15) requerimento concedendo prioridade ao Projeto de Lei Complementar 14/2018, do Judiciário, que fortalece a estrutura de pessoal no Poder Judiciário.

“Defendo o fortalecimento da justiça. Com o fim do foro privilegiado, precisamos dar aos juízes de primeiro grau as condições para rapidamente respoderem a sociedade. Isso tem que ser prioridade”, defendeu o autor do requerimento, deputado Gelson Merisio (PSD).

Kennedy Nunes (PSD), Valdir Cobalchini (MDB), Moacir Sopelsa (MDB), Maurício Eskudlark (PR) e Serafim Venzon (PSDB) apoiaram a tramitação célere.

“Com o fim do foro privilegiado, vem tudo para a primeira instância, no que depender da minha função, vou dar celeridade”, informou Kennedy.

“A matéria está na CCJ, concordo com o regime de prioridade, voto a favor do requerimento”, anunciou Cobalchini, líder do governo.

“Entendo que lá na ponta é onde começam os processos, será uma pessoa que vai estar assessorando o juiz aonde ele estiver”, pontuou Sopelsa.

“Minha posição é favorável”, avisou Darci de Matos.

“Nós que cobramos uma justiça ágil, temos de defender este projeto”, avaliou Eskudlark.

Dirceu Dresch (PT) e Mário Marcondes (MDB) discordaram.

“Estamos ampliando o custo da máquina, vamos ser claros e coerentes, em Alfredo Wagner tem três policiais e um está de licença, outros setores também precisam”, observou Dresch.

“Estamos criando cargos comissionados e gerando despesas, não estamos criando 400 cargos no voluntariado, quem pagará a conta serão os catarinenses”, garantiu Marcondes.

*Com informações da Agência AL.