A Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs), manifestou total repúdio à decisão do Congresso Nacional de aprovar, na quinta-feira (15), recursos da ordem de R$ 5,7 bilhões, do orçamento federal, para o Fundo Eleitoral de 2022, três vezes superior ao valor autorizado nas eleições de 2018, de R$ 1,8 bilhão.

Confira o manifesto na íntegra:

 

"Entende a classe empresarial que esse ato configura o total desrespeito de parte da classe política, representada pelos parlamentares favoráveis à decisão, aos verdadeiros anseios da sociedade brasileira, de maneira totalmente dissociada da realidade do País.

No momento em que estados e municípios enfrentam os efeitos de uma crise sanitária com reflexos econômicos e sociais sem precedentes, quando a população se ressente de ações mais efetivas no enfrentamento da pandemia, a aplicação de recursos públicos na campanha eleitoral soa como deboche e demonstração de completa insensatez daqueles que deveriam primar pelo zelo do erário e a correta destinação do que é gerado por uma elevada carga tributária imposta ao conjunto da sociedade.

Não obstante o crítico quadro da saúde pública, desassistida pela falta de infraestrutura nas redes ambulatorial e hospitalar, que agravou as estatísticas da pandemia, com a elevação dos casos de Covid-19 e mais de 500 mil vítimas fatais, o Brasil ainda convive com o espectro do desemprego, que afeta mais de 14 milhões de trabalhadores, e um contingente expressivo de brasileiros vivendo em situação de pobreza extrema.

Deputados e senadores demonstram, ao que parece, completa desconsideração, ou fazem questão de fechar os olhos, à situação fiscal do Brasil, em recorrentes déficits, causados principalmente pela má gestão da máquina administrativa, historicamente inflada e com recursos que deveriam ser aplicados em infraestrutura, saúde, educação e mobilidade, entre outros setores, sendo utilizados em grande parte no custeio de privilégios
em cargos e salários do setor público.

A Acijs, em consonância com o sentimento nacional, conclama que essa decisão totalmente descabida seja revogada com urgência, sob pena de comprometer o desenvolvimento do País.

Não há como a sociedade suportar que interesses partidários e eleitoreiros se sobreponham aos interesses da Nação.

Associação Empresarial de Jaraguá do Sul (Acijs)
A Diretoria"