O ex-soldado da Polícia Militar, Silvio Roberto Vieira, morreu na madrugada desta segunda-feira (01) em Florianópolis, aos 74 anos , vítima de infarto. O enterro será no Cemitério do Itacorubi, não haverá velório. Ele deixa seis filhos.

Silvio ficou conhecido por invadir o estúdio da TV Cultura em 12 de maio de 1986, uma segunda-feira à noite, quando o jornalista Roberto Alves apresentava o programa esportivo Terceiro Tempo, na companhia de Hélio Costa, Miguel Livramento, Paulo Brito, e convidados.

O então soldado protestava contra as condições de trabalho impostas pela PM e de uma promessa de aumento que não foi cumprida pelo Governo de Santa Catarina. A intenção dele era se suicidar ao vivo. Ele estava em tratamento psiquiátrico.

Ilustração/Caros Ouvintes

Silvio ficou por 32 minutos no ar, com cinco armas, uma delas apontada para sua própria cabeça. Ele acabou convencido pelos jornalistas a colocar as armas na bancada e fazer seu protesto usando o microfone da TV.

Assim que ficou desarmado, acabou preso pelo Coronel Luiz Eugênio Uriarte., que assistia ao programa quando viu a invasão.

Coronel Luiz Eugênio Uriarte prendeu Silvio ao vivo | Reprodução/Caros Ouvintes

Além de ter sido expulso da corporação, cumpriu pena de quatro anos, em regime aberto, e não conseguiu se aposentar pela corporação.

Conforme o site Caros Ouvintes, o episódio daquele dia de fúria é contado em detalhes no livro do jornalista Paulo Brito, “Dás um banho – Roberto Alves: o rádio, o futebol e a cidade, Editora Insular (2010).