Sociedades germânicas em Jaraguá do Sul: cultura, tradição e comunidade

Foto: Divulgação/PMJS

Por: Maria Luiza Venturelli

09/07/2020 - 15:07 - Atualizada em: 11/07/2024 - 14:36

Jaraguá do Sul é um exemplo de como tradições e costumes podem ser preservados e celebrados ao longo do tempo. As sociedades germânicas desempenham um papel crucial nessa preservação, promovendo eventos culturais, esportivos e sociais que mantêm viva a herança alemã na região.

O município é reconhecido nacionalmente pela tradição do tiro esportivo, prática comum nas sociedades de tiro, conhecidas como Schützenverein. A atividade, hoje valorizada por conta da técnica e reconhecimento, fazia parte do cotidiano dos primeiros imigrantes da Alemanha e foi transmitida de geração em geração.

História e tradição

Foto Arquivo Histórico de Jaraguá do Sul

Os primeiros registros de sociedades dedicadas ao tiro esportivo são de 1906, com a fundação da Schützenverein Jaraguá (Sociedade de Atiradores Jaraguá). Conforme relatado no livro “Festas de Rei”, da historiadora Silvia Kita, muitas sociedades surgiram a partir de então, em salões improvisados, casas e ranchos, sempre associadas a celebrações típicas, bailes e festas.

Entre as primeiras sociedades fundadas estão a Sociedade de Atiradores Dr. Lauro Müller e a Sociedade de Atiradores e Sport Rio Serro II, ambas de 1916, e a Sociedade de Atiradores Einigkeit (União) de 1928.

No entanto, muitos registros dessa época foram perdidos devido à Campanha de Nacionalização na década de 1930 e à entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, quando várias sociedades foram fechadas e qualquer referência à cultura alemã foi reprimida.

Apenas após a guerra, em 1945, as atividades dessas sociedades foram retomadas, muitas vezes com novas fundações baseadas em registros antigos. Em 1968, a primeira equipe de Jaraguá do Sul participou dos Jogos Abertos, composta por Amadeus Mahfud, Adolfo Oswaldo Saade, Leopoldo Enke, Adolpho Mahfud e Dietrich Hufenüssler.

O grupo conquistou a sexta colocação, conforme descrito no livro “Baependi: 100 anos de muita história”. Alguns desses atiradores se tornaram membros do Clube de Caça e Tiro e Pesca Marechal Rondon, fundado em 1959.

Foto Arquivo Histórico de Jaraguá do Sul

Diferente das demais sociedades que integravam o tiro em festividades de rei e rainha, o Clube Marechal Rondon focava exclusivamente na prática esportiva, sem realizar festas típicas. A tradição foi reforçada em 1989 com a criação da Schützenfest pela Associação dos Clubes e Sociedades de Tiro do Vale do Itapocu (ACSTVI).

Schützenfest reúne sociedades

Conhecida como a Festa dos Atiradores, a Schützenfest é um dos eventos mais tradicionais de Jaraguá do Sul. Realizada anualmente, a celebração destaca-se pela prática de tiro esportivo, mantendo viva a tradição trazida pelos imigrantes alemães.

A festa foi inspirada nas tradicionais competições de tiro realizadas na Alemanha, consideradas um momento de celebração comunitária, onde a pontaria e a precisão eram valorizadas.

O tiro esportivo é o ponto central da Schützenfest. As competições incluem modalidades como tiro ao alvo com chumbinho e seta. Na 33ª edição do evento, foram mais de 88 mil tiros disparados nos estandes.

Os estandes de tiro são abertos tanto para competidores quanto para o público em geral, permitindo que todos possam experimentar e apreciar a tradição do tiro.

A Schützenfest também é conhecida pela programação cultural e gastronômica. O evento conta com apresentações de grupos folclóricos, desfiles, bandas típicas e uma variedade de comidas e bebidas tradicionais alemãs.

A festa também celebra a realeza do tiro, com a coroação das majestades do tiro, que são escolhidas através das competições. É um momento de grande importância, simbolizando o reconhecimento das habilidades dos atiradores e mantendo viva a tradição dos clubes de tiro.

Foto: Divulgação/PMJS

Sociedades de tiro

Jaraguá do Sul abriga mais de 15 sociedades recreativas que mantêm viva a cultura alemã. Entre elas estão as sociedades Rio da Luz Vitória, Sociedade Recreativa Rio da Luz (Salão Barg) e Botafogo, entre diversas outras que preservam as tradições alemãs e também as cultivam entre as gerações mais jovens. Para a Sociedade Recreativa Vitória Rio da Luz foi um grande marco a colonização alemã no Brasil.

“Desde 1943 estão sendo praticadas as festas de Rei e Rainha com a prática do tiro ao alvo. Essa tradição se perpetua até nos dias de hoje e é fundamental para a nossa tradição e costumes até nos dias atuais”, resume o presidente da sociedade, Sido Hornburg.

Essas sociedades promovem uma variedade de atividades culturais, incluindo grupos folclóricos, culinária tradicional e eventos comunitários​, desempenhando um papel importante na comunidade. Elas oferecem um espaço de convivência para famílias e amigos, fortalecendo os laços sociais e culturais.

As competições de tiro, muitas vezes acompanhadas de festas e eventos, são oportunidades para a troca de experiências e a celebração das raízes culturais.

Notícias no celular

Whatsapp

Maria Luiza Venturelli

Jornalista apaixonada por contar histórias inspiradoras, formada pela Faculdade Ielusc