Se você sente dor, fraqueza, formigamento e dormência nas mãos, você pode estar com a Síndrome do Túnel do Carpo (STC). De acordo com o ortopedista especializado em cirurgia da mão do Centro de Ortopedia Especializada (COE) em Jaraguá Do Sul, Dr. Ivan Grujicic Marcelja, a síndrome pode ser tratada.

Ele explica que o túnel do carpo é uma região localizada na face palmar do punho que recebe esse nome por se assemelhar de fato a um túnel, com assoalho, teto e paredes. Em seu interior transitam os tendões que fazem a flexão dos dedos e o nervo mediano.

“Nessa localização, o nervo é responsável pela sensibilidade do polegar, indicador, dedo médio e parte do anular. Na STC o nervo está comprimido e pode levar a diferentes sintomas, citados anteriormente” destaca.

Sintomas e causas

O especialista ressalta que comumente os sintomas se manifestam durante o sono ou ao despertar.

As causas são as mais diversas e podem estar associadas a doenças sistêmicas, fraturas, luxações ou até mesmo causas fisiológicas como a gestação. “Atividades que exijam uso repetitivo da mão podem piorar os sintomas, mas não há comprovação de que possam ocasionar a síndrome”, afirma.

Diagnóstico

O diagnóstico da STC é feito exclusivamente por exame médico. Exames como a ecografia (ultrassom) e a eletroneuromiografia, quando bem indicados, podem auxiliar a graduar o comprometimento do nervo e a orientar o tratamento.

Tratamento

O Dr. Ivan Marcelja pontua os tipos de tratamento que podem ser feitos: clínico ou cirúrgico, a depender de cada caso.

O tratamento clínico consiste no uso de medicações algumas vezes injetáveis, outras por via oral, o uso de órtese (tala) e reabilitação (fisioterapia ou terapia ocupacional). “Na falha do tratamento clínico ou quando há indicação, faz-se o tratamento cirúrgico para alívio dos sintomas.”

No caso da paciente gestante, salvo raras exceções, o tratamento clínico normalmente é o mais indicado, tendo em vista que os sintomas tendem a desaparecer após o nascimento da criança.

Nos casos cirúrgicos, o recomendado é evitar esforços por 30 a 45 dias após o procedimento, mas movimentos das mãos e dedos devem ser feitos de imediato. Ele ainda afirma que alguns pacientes podem apresentar uma leve dor residual por quatro ou até seis meses após a cirurgia, porém, costuma ser de resolução espontânea, sem necessitar tratamento ou uso de analgésicos.

Sobre o especialista

O Dr. Ivan Grujicic Marcelja (CRM 20700 SC - RQE 12673 - RQE 12674) é ortopedista e especialista de punho e mão. Ele atende no Centro de Ortopedia Especializada (COE) em Jaraguá Do Sul.