Quando a criptomoeda mais conhecida e de maior valor no mercado, o Bitcoin, entrou em operação em 2009, ela valia US$ $0,0008 - oito cêntimos de um centavo de dólar. No mesmo ano, o dólar estava cotado em R$ 2,307.

Se você tivesse investido R$ 50 naquela época, equivalente a meio tanque de gasolina de um compacto popular na época, teria comprado cerca de 27 mil bitcoins.

Supondo que você nunca mais comprasse a cripto novamente e não mexesse mais nessa carteira virtual, após estes doze anos, somente a valorização daqueles primeiros cinquenta reais te deixaria bilionário hoje!

No período o Bitcoin cresceu espantosos 5.874.999.900% - cinco bilhões, oitocentos e setenta e quatro milhões, novecentos e noventa e nove mil e novecentos porcento- enquanto o dólar mais que dobrou de valor.

Com o dólar cotado em R$ 5,45 e o Bitcoin avaliado em 47 mil dólares, cada bitcoin vale hoje pouco mais de R$ 256 mil.*

Isso significa que você teria cerca de R$ 6 bilhões e 914 milhões hoje. Sim, é um absurdo! Mas também significa que em comparação com a cotação do mês de abril da criptomoeda, você teria perdido R$ 1,2 bilhão.

Mas lembre-se que rentabilidade passada não garante rendimento futuro em nenhum tipo de ativo e que as criptomoedas apresentam oscilações na cotação que podem representar situações desconfortáveis para quem não tem tolerância ao risco da renda variável.

*Cotações do dia 20/08/2021.