Na semana passada, expliquei a vocês, leitores, o que são os xenoestrogênios. Aqueles “estrogênios estranhos”, ou seja, substâncias químicas que conseguem enganar nossos receptores das células, interferir nas mensagens bioquímicas e mimetizar ou bloquear a atividade dos hormônios naturais. Hoje, continuarei a falar deles. Estudos recentes mostram que além de causarem alterações hormonais, como o “peitinho” em meninos novos, os xenoestrogênios podem contribuir negativamente com a obesidade, influenciar nas alergias, endometriose, diabetes e a produção de energia pelo fígado. Também já temos comprovação do potencial dessas substâncias na gênese do câncer. Os xenoestrogênios entram em nosso organismo de diversas maneiras. Através de alimentos, ar, água, contato com diversos produtos que temos na cozinha ou no banheiro, como detergentes, xampus etc. Dentro do organismo, imitam o estrogênio, enganando os receptores, (portas por onde o hormônio entra nas células) deixando seus efeitos nocivos para a saúde em médio e longo prazo. Assim, eles agem lentamente no organismo e nos envenenam aos poucos. Como evita-los, então? Essas são algumas dicas: - Evite tomar bebidas quentes em copos de plástico; - Evite aquecer alimentos com filme plástico ou em recipientes de plástico no micro-ondas. Também não aqueça mamadeiras no micro-ondas, pois elas liberam durante a exposição ao calor o bisfenol; - Escolha bem as carnes e ovos, prefira frango caipira, ou seja, de galinhas que ciscam. Carnes congeladas, normalmente, contêm muito hormônio do crescimento; - Deixe de molho frutas, verduras e legumes em hipoclorito. Se tiver oportunidade, opte pelas versões orgânicas, ou de época (safra). Lave-as muito bem antes de consumir; - Evite alimentos industrializados, com conservantes, corantes e metais pesados; - Evite beber água diretamente da torneira. Utilize filtros com sistema de “osmose reversa” ou carvão ativado, pois diminuem a quantidade de porcarias da água. Melhor ainda se você consumir água alcalina; - Evite usar xampu que tenha o estradiol como componente. O estradiol pode conter altos níveis de estrogênio ativo, interferindo na produção hormonal normal; - Verifique o rótulo do seu protetor solar. Pesquisas indicam que certos produtos químicos encontrados em protetores solares podem imitar os efeitos do estrogênio. Os cinco produtos químicos que se deve evitar são: benzofenona-3, homosalate, 4-metil benzilideno cânfora (4-MBC), octil-metoxicinamato e octil-dimetil-PABA; - Evite usar embalagens que contenham ftalatos. Os ftalatos são compostos químicos utilizados como aditivo para deixar o plástico mais maleável. Podem ser encontrados em produtos como loções de bebê e até mesmo alguns cosméticos; - Diga não aos pesticidas e herbicidas. Se você tem jardim e quer manter as pragas longe, use soluções simples e naturais como vinagre e sal misturado com água ou pó de café; - Para conservar peixes, frutos do mar e crustáceos, muitas vezes, são utilizados xenoestrogênios, especialmente o propilgalato, um conservante utilizado para evitar que óleos e gorduras se deteriorem. O outro é o 4-hexil-resorcinol, usado para evitar a descoloração de camarões e outros peixes. Evite congelados; - Evite usar panelas com teflon e alumínio. Dê preferência a panelas de cerâmica; - Pratique atividade física ao ar livre, ingira bastante líquido, de preferência à água alcalina e consuma diariamente a alga clorella. Ela auxilia na eliminação de agrotóxicos e metais pesados presentes nos alimentos; - Leia rótulos e saiba o que está ingerindo; - Faça escolhas saudáveis para que tenha mais qualidade de vida!