Responsável por gerar mais de 13,3 mil empregos só no município, reconhecida como uma das melhores empresas para se trabalhar no país, destaque no mercado de energia renovável e com um faturamento de R$ 9,3 bilhões em 2016, a multinacional WEG leva o nome de Jaraguá do Sul ao redor do globo com inovação, números e estatísticas. O papel da empresa no desenvolvimento do município e da região foi mais uma vez reconhecido, dessa vez com o título de Empresa Benemérita, concedido ontem (4) pela Acijs (Associação Empresarial de Jaraguá do Sul). Para o presidente do Conselho Administrativo da WEG, Décio da Silva, receber o título é um momento importante porque a história da Acijs se mistura com a da empresa. Em quase 80 anos, muitos presidentes da empresa comandaram a entidade, pontua da Silva. “Tem um aspecto importante para a companhia esse reconhecimento ao trabalho dos fundadores e de inúmeros outros empresários ao desenvolvimento da nossa cidade”, disse.
Presidente do Conselho Administrativo da WEG, Décio da Silva, afirmou que história da Acijs se mistura com a da empresa | Foto Eduardo Montecino/OCP
Com o título à WEG, a Acijs concluiu a série de homenagens a empresas associadas que ao longo da história da entidade contribuíram com o desenvolvimento econômico e social. Desde junho, a entidade vem realizando nas suas plenárias semanais o reconhecimento a empresas associadas. “É uma oportunidade de celebrar publicamente pessoas e organizações que de maneira voluntária e altruísta tem contribuído com a Acijs na sua missão de representar os interesses da classe empresarial e atuar em favor da comunidade, como estimuladoras do associativismo e do desenvolvimento regional”, diz o presidente da entidade Giuliano Donini. Na categoria Empresas Benfeitoras foram relacionadas Agricopel, Marisol, Malwee, Lunelli, Menegotti, Duas Rodas e Urbano, e como Empresa Benemérita a WEG. Nestas homenagens, as empresas recebem uma estatueta simbolizada pelo mapa de Jaraguá do Sul, que segundo a Acijs retrata a grandeza da cidade e a participação dos empreendedores e da comunidade. Donini lembra que a homenagem é prevista no estatuto da entidade, e foi idealizada em 2017 como forma de reconhecer empresas por sua relevância social e no fortalecimento do associativismo. “Mais do que o reconhecimento materializado pela estatueta, o momento representa a força do empreendedorismo comprometido com a comunidade”, completa, ao destacar que empresas tradicionais simbolizam trajetórias calcadas no idealismo, uma marca que acompanha a história empresarial do município e que devem ser referência e estímulo para as novas gerações. Além da homenagem às empresas foram entregues em junho troféus a ex-presidentes de gestões posteriores ao período 1992-1994, quando a entidade era comandada pelo pai de Giuliano, o empresário Vicente Donini.  “Retomamos esta prática para marcar os 79 anos e reconhecer aqueles que vêm conduzindo a entidade desde então”, assinala o atual presidente.