Pedidos como brinquedos, cesta básica, tratamento dentário e roupas foram atendidos pelos noéis da WEG | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Pedidos como brinquedos, cesta básica, tratamento dentário e roupas foram atendidos pelos noéis da WEG | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Ao longo de quinta-feira (6), 401 alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Jaraguá do Sul se encontraram com o Papai Noel, tiraram fotos e receberam seus presentes.

Os pedidos foram atendidos por mais de 500 colaboradores do setor administrativo e produtivo da WEG.

Em alguns casos, como o de Giovani Baruffi, os voluntários também são pais de alunos que frequentam a Apae. Baruffi tinha participado da ação na entidade em 2017.

No início deste ano, ele recebeu o diagnóstico que o filho Samuel, de 5 anos, é autista e receberia o atendimento da Apae.

"Já conhecia o trabalho, mas não tinha vindo aqui ainda, só comprado o presente no ano passado. Depois que comecei a acompanhar vi a dedicação e envolvimento dos profissionais. Meu filho está se desenvolvendo melhor graças à Apae. Isso me motivou a participar novamente da ação", conta Baruffi.

O pequeno Samuel ganhou um carrinho e um dominó de Natal e não escondeu a alegria em conhecer o bom velhinho. Dois voluntários se vestiram de Mamãe e Papai Noel para presentear as crianças e adultos.

Segundo ano da ação

Este é o segundo ano consecutivo que a WEG faz a ação solidária. Os funcionários da entidade pedem para os alunos o que eles gostariam de ganhar e o que a família acha que a pessoa precisa.

Segundo o coordenador de comunicação e marketing da Apae, David dos Passos Crispim, nas cartinhas com os pedidos são incluídos o nome, idade, cidade e uma foto do aluno.

"Para eles vai ser uma surpresa porque muitos vão receber os dois presentes. Esse momento é especial porque alguns não têm isso em casa, tanto que entre os pedidos tinha cesta básica, roupa e até tratamento dentário", relata Crispim.

A coordenadora do voluntariado na WEG, Daniely Spezia, explica que os colaboradores se dividiram para fazer as compras, em especial dos itens mais caros. "Alguns também pegaram mais de uma carta", comenta. Os pedidos foram entregues aos colaboradores no mês de outubro.

Daniely destaca que o grupo conseguiu atender o pedido do aluno que queria ganhar um tratamento odontológico.

"Ele falou que esse era o grande sonho da vida dele porque a mãe é falecida e o pai é reciclador e não tem condições. Também conseguimos dar um curso de inglês para um dos usuários", revela a coordenadora.

Josiane Lopes da Silva, mãe da aluna Mariany, de 3 anos, acredita que esta ação de Natal estimule todos que recebem tratamento na Apae. "A minha filha tem medo do Papai Noel, mas adora esse clima, ajuda no desenvolvimento dela", observa. Mariany tem a síndrome de Guillain-Barré.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?