Com ajuda da Defensoria Pública de Santa Catarina (DPE-SC), a viúva de um ucraniano desaparecido no mar da praia da Lagoinha do Leste, em Florianópolis, em março de 2019, conseguiu registrar a certidão de óbito do marido. O casal, que visitava a Capital a turismo, foi arrastado pelo mar enquanto se banhava. Ela foi encontrada já desacordada pelo Corpo de Bombeiros e chegou a ficar dois dias internada no Hospital Universitário.

Já as buscas pelo corpo do jovem de 24 anos duraram pelo menos nove dias sem que o corpo fosse localizado. Na época, as condições do mar, bastante revolto, dificultaram o trabalho dos socorristas. A equipe contava com mergulhadores, também fez uso de motos aquáticas e de helicóptero.

O corregedor-geral da DPE-SC, Thiago Burlani Neves, explica que também é papel da Defensoria atuar em casos como este, em que estrangeiros não têm condições de arcar com as custas de um advogado brasileiro e de um processo judicial.

Já de volta à Ucrânia, a viúva de 26 anos recorreu à DPE-SC, por intermédio do Consulado do seu país no Brasil, para regularizar a documentação da morte presumida do seu companheiro. Ao processo foram juntados relatos de policiais que atuaram nas buscas, boletim de ocorrência, inquérito e parecer do Ministério Público, além de uma declaração da viúva e os documentos dela e do companheiro traduzidos.

Ao todo, o trâmite durou mais de um ano para ser concluído, já que foram necessárias diligências em outro país, além de traduções juramentadas. As buscas pelo turista foram amplamente noticiadas pela imprensa local e nacional, à época.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp