Tornar o atendimento mais humanizado e centrado nas necessidades do paciente e de sua família é um desafio constante para as equipes das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Centro Hospitalar Unimed, de Joinville. Recentemente, algumas iniciativas estão sendo colocadas em prática dentro das unidades a fim de promover a humanização, em especial a ampliação dos horários de visita, também conhecida como visita estendida. Desde a instalação das UTIs no CHU, alguns horários foram definidos para a visita, mas, a partir deste ano, houve a flexibilização total do horário, na qual um dos visitantes (na maioria um familiar próximo) pode permanecer ao longo das 24 horas do dia com o paciente internado na UTI. A nova medida vai ao encontro de um projeto mais amplo chamado “UTI de Portas Abertas” e é fundamentado no programa espanhol para promoção da humanização nas UTIs, iniciado em 2014. No Brasil, o CHU é pioneiro na implementação dessas ações, que começou com a realização de um estudo científico sobre o impacto da visita totalmente flexibilizada na saúde mental dos pacientes críticos. Este estudo foi realizado pela equipe multiprofissional das UTIs do CHU e envolveu médicos, psicólogos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas. Foi constatado que a visita estendida contribuiu com a redução pela metade da ocorrência de delirium (distúrbio psiquiátrico comum em pacientes hospitalizados), além de um nítido aumento na satisfação dos clientes. Pesquisa acompanhou 516 pacientes A pesquisa foi realizada no período de dois anos e dividida em dois períodos (2015/2016 – 2016/2017), na qual foram acompanhados 516 pacientes. Uma das preocupações em relação ao projeto eram as taxas de infecções, que poderiam aumentar devido ao contato maior com pessoas vindas de fora do hospital. Mas, o estudo também mostrou que não houve nenhuma alteração. Para o coordenador das UTIs do CHU, Dr. Glauco Adrieno Westphal, o projeto de ampliação do horário de visitas e, consequentemente, a presença mais intensa dos familiares auxiliou no processo de recuperação dos pacientes. “Ter alguém da família no momento que se está numa UTI traz conforto e distrai. O impacto positivo foi nítido. No início do estudo tínhamos um índice de 12% de incidência de delirium. Já no fim da pesquisa, quando implantamos a flexibilização total do horário, percebemos uma taxa de 6,8%, ou seja, uma diminuição pela metade nos episódios de delirium”, explica. Além de oportunizar um horário flexibilizado de visitas, o CHU dispõe de uma estrutura que, ao longo dos anos, foi sendo adequada conforme as necessidades e complementa as iniciativas voltadas ao conforto do paciente e de seus familiares. “Nosso objetivo, além de tratar a doença do paciente, é deixá-lo sintonizado com o ambiente para que não se sinta tão desconfortável. Isso contribui muito para uma melhora rápida do seu quadro clínico, finaliza Glauco. Visita estendida é conforto também para os familiares A oportunidade de ficar mais tempo ao lado do filho Otávio Luiz na UTI do Centro Hospitalar Unimed e acompanhar sua evolução ao longo dos dias foi uma opção valiosa para Juliana Brandalis. Otávio, que possui Distrofia Muscular de Duchenne, precisou ficar internado na UTI cerca de quase um mês e seus familiares puderam acompanhá-lo 24 horas, por intermédio da visita estendida. Juliana não tem dúvidas de que a flexibilidade do horário ajudou na recuperação de seu filho. “Com a proximidade da família em tempo integral, percebi que o Otávio conseguiu se recuperar mais rápido e isso nos deixa muito feliz”, conta. Prêmio Inova+Saúde Recentemente, a Unimed Joinville foi a grande vencedora da edição 2017 do Prêmio Inova+Saúde, promovido pela Seguros Unimed. O projeto “UTI de Portas Abertas e suas implicações na incidência de delirium” foi escolhido pelo júri de especialistas como o melhor case do ano. *Via Assessoria de Imprensa