O prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, voltou a abordar, em suas redes sociais, nesta segunda-feira, a polêmica iniciada após o conteúdo do clipe Etérea, do cantor Criolo, ser reproduzido por um professor de artes em sala de aula, e toda a causa envolvida. O contexto que foi utilizado pelo educador em relação ao material não foi divulgado.

O assunto que segue em evidência desde a última semana ganhou repercussão nacional.

“Me responda: qual educação você deseja para o seu filho?”, indagou o prefeito, publicando em seguida um vídeo em que discursa a crianças que cantam o hino, nacional e do município.

Salvaro diz que a única bandeira que se deve amar é a do país, do estado e do município, “jamais outra bandeira, de outra cor, que não deve jamais ir para a sala de aula”, apontou.

Na mesma publicação, há um vídeo de uma mobilização da causa LGBTQIA+ no último sábado, no Parque Altair Guidi, especificamente de um discurso com frase imputando ao presidente Jair Bolsonaro e a polícia a praticarem sexo anal.

A conduta do prefeito, tanto ao exonerar o professor quanto a fala considerada homofóbica, vem sendo apurada pelo Ministério Público.

Após o vídeo, igrejas, monumentos e um colégio foram alvos de vandalismo. Uma pessoa teria sido responsável pela pichação.