Neste sábado (7), durante o monitoramento do trecho das praias entre Araranguá e Passo de Torres no Sul de Santa Catarina, a quantidade de pinguins mortos chamou a atenção. A ONG (Organização Não Governamental) Educamar encontrou 59 animais já sem vida.

Os pinguins são da espécie de Magalhães (Sphenicus magelanicus). Eles foram marcados com spray não tóxico, para que não ocorresse a duplicação na contagem para os registros de encalhes.

“Não podemos afirmar se eles sofreram morte natural ou não. Os animais são jovens e inexperientes, se perdem dos grupos e acostam debilitados, necessitando de atendimento médico veterinário. Muitos estão vindo a óbito por não haver ainda um local no extremo sul para estabilização e atendimento”, alega a bióloga da ONG, Suelen Santos.

De acordo com informações da ONG, porém, muitos dos animais encontrados no Sul de SC eram adultos. Algo que é um forte indicativo de causas humanas como poluição ou incidentes com pesca para a morte dos animais. Geralmente, os pinguins chegam vivos a praia, mas necessitam de atendimento.

“O correto é encaminhar para o Projeto de Monitoramento de Praias (PMP de Laguna), porém a Polícia Militar Ambiental que prestava suporte não poderá mais auxiliar no translado pois, segundo a mesma esta função é atribuição do Instituto de Meio Ambiente”, afirma Suelen.