Depois de 55 dias internada em razão do coronavírus, uma mulher de 29 anos do município de Rio do Sul, no Vale do Itajaí, foi pedida em casamento pelo companheiro após receber alta no domingo (11). A reportagem é do G1.

Juntos há 11 anos, o namorado de Franciane Aparecida Buz realizou o pedido de forma espontânea. Djoni Godinho entregou um buquê de rosas, que a namorada havia pedido para celebrar o momento da alta médica. Em seguida, ele fala que perdeu a aliança de prata de Franciane mas trouxe uma nova no lugar.

"Para mim, foi o dia mais feliz da minha vida, receber esse pedido de casamento, pois estamos há 11 anos juntos. Poder rever minha família, meus amigos, saber que tive uma força muito grande para vencer esse vírus que matou muita gente. Para mim, foi uma surpresa muito grande", revelou Franciane.

"Ela não sabia, não fazia nem ideia de que eu faria o pedido para ela", disse Djoni.

Foto: Hospital Regional do Alto Vale/Reprodução

Além de Djoni, Franciane foi recebida por familiares e amigos que aguardavam ansiosos no lado de fora do hospital com balões, celebrando a vitória contra a doença. O casal já tinham a intenção de oficializar a união antes da Covid-19.

"Eu tinha planos de casar, mas eu não tinha uma data específica. Eu tive a ideia de fazer o pedido na saída do hospital", afirmou o noivo.

Foto: Hospital Regional do Alto Vale/Reprodução

55 dias internada

O casal conta que no dia 9 de maio começaram a sentir os primeiros sintomas da Covid-19. Os dois testaram positivo, mas somente Franciane precisou ser internada no Hospital Regional do Alto Vale com falta de ar.

Durante a internação de 55 dias, ela passou pelo menos 50 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), 44 deles intubada.

"Graças a todas as orações que recebi de milhares de pessoas e a Deus, primeiramente, fui melhorando. Os médicos fizeram de tudo por mim, trabalharam incansavelmente pela minha cura, mesmo sabendo que as chances eram mínimas. O momento mais emocionante foi a extubação, onde pude voltar a falar e comer", relembra Franciane.

Mesmo no período em que esteve intubada, Djoni realizava visitas frequentes à namorada Com a alta médica, Franciane está na casa da mãe e faz fisioterapia para estimular o pulmão a voltar ao normal.

"Hoje ela está se recuperando da Covid, das sequelas do pulmão. Ela está usando oxigênio e ainda não consegue ficar em pé. [Por isso] A data do casamento ainda não tem. Temos que esperar a recuperação dela total. Talvez esse ano ou ano que vem", planeja o noivo.

"Estou ansiosa para o casamento. Pretendemos casar ano que vem, assim que essa pandemia passar", concluiu Franciane.