Não há como negar, o amor pelos esportes radicais corre no sangue da família Berchtold, de Schroeder.

Na infância, o octacampeão pan-americano e 13 vezes campeão brasileiro na modalidade de downhill, Markolf Erasmus Berchtold, 39 anos, já era influenciado pelo pai, tio e avô, feras no bicicross e motocross. Na década de 1940, a oficina da família era uma das únicas na cidade.

Aos 4 anos de idade, Markolf conquistou a primeira medalha no bicicross. A vitória foi apenas uma da série de títulos que o morador de Schroeder conseguiria futuramente.

Ele competiu em diferentes modalidades, como mountain bike e velocross, mas se profissionalizou no downhill.

Entre 1998 e 2008, o atleta morou fora do Brasil. Ao voltar, a família reabriu a oficina em Schroeder. Neste meio tempo, nasceu Zion, agora com 7 anos.

Não demorou muito para o filho do campeão se aventurar sobre duas rodas também. "Ele nasceu nisso. Nunca usou rodinha na bicicleta. Antes dos 3 anos já andava de moto e aos 4 começou a competir", conta o pai.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

O esporte serviu como elo entre pai e filho. A convite de um amigo, Markolf começou a treinar algumas crianças no bicicross e motocross.

"O negócio deu certo e mais pessoas participaram, nisso o Zion também passou a treinar comigo, o que é uma oportunidade para ficarmos mais tempo juntos durante a semana e nos fins de semana", comenta. "E ainda posso contribuir para o crescimento dele no esporte", enfatiza.

Markolf aponta que todos os equipamentos são adaptados para a idade das crianças, assim como a moto utilizada. Os pequenos usam capacetes, botas, joelheiras, cinto, colete com cervical e outros aparelhos de segurança.

"Nós temos conhecimento de vida sobre essas modalidades, então sabemos como fazer de uma forma que seja saudável e natural para as crianças, mesmo sendo um esporte agressivo, eles têm que se divertir", garante o atleta.

Para Zion, Markolf é um orgulho. "É muito bom ter um pai que me leva para treinar e me ensina a andar de moto e bicicleta", garante. O menino ainda diz que seu sonho é ser um campeão, da mesma forma que o pai foi nos últimos anos.

Foto Eduardo Montecino / OCP News

Aos 7 anos, o Zion já treina com uma moto de 65 cilindradas e encara altas velocidades e manobras aéreas. O garoto competiu cinco vezes no campeonato catarinense de motocross e no ano passado participou de toda a etapa nacional.

"Ele é bem precoce para a idade, tem tantos troféus que perdi a conta", declara o pai.

Objetivo além do esporte

A parceria de Markolf com Zion não se limita ao esporte. Lenda do downhill brasileiro, mas também pai, Markolf comenta que o principal motivo de dar aulas é a presença do filho.

"Diferente da minha época, que nós passávamos muito tempo com os avós e família, hoje as crianças quase não ficam com seus pais. E nossa realidade agora é bem mais perigosa", relata.

A prioridade de Markolf é passar o tempo com o filho e ver com quem o menino está se relacionando, quem são os amigos e também passar ensinamentos de valores.

"Em primeiro lugar, ele ter que ser um ser humano bacana. As crianças crescem, se formam e tem muita cobrança sobre qual carreira seguir, muitos acabam se tornando adultos infelizes. Não quero isso pro meu filho. O Zion tem que ser feliz, acho que essa é a principal ideia de ser um pai", completa.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger