A Prefeitura de Florianópolis em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina, Sebrae/SC, implantou nas escolas da rede municipal de ensino o projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos, JEPP, através do programa Cidade Empreendedora.

Quatro unidades educativas aderiram à iniciativa: João Alfredo Rohr, Acácio Garibaldi São Thiago, Batista Pereira e Intendente Aricomedes da Silva (EBIAS), totalizando 1.870 estudantes dos anos iniciais e finais.

Orientados pela coordenadora Mariah Amanda da Silvaalunos criaamr produtos referentes a ervas aromáticas | Foto PMF/Divulgação

O projeto tem por objetivo discutir a cultura empreendedora e orientar para o plano de negócios através das práticas pedagógicas. As crianças e adolescentes são estimulados a execução do empreendedorismo e ao protagonismo juvenil, procurando ajudá-los na futura busca de inserção no mercado de trabalho por meio de uma postura autônoma.

“O programa procura apresentar práticas de aprendizagem, considerando a autonomia do estudante para aprender, além de favorecer o desenvolvimento de atributos e atitudes necessários para a gestão da própria vida”, explica o secretário Maurício Fernandes Pereira.

Batista Pereira

A comunidade escolar e os moradores do Alto Ribeirão, onde o estabelecimento de ensino Batista Pereira está localizado, poderão marcar presença no dia 19 de dezembro no stand do JEPP, para apreciar a exposição dos produtos confeccionados pelas crianças da Turma 21.

Na Turma 21 o tema escolhido pela garotada do 2º ano foi, “Temperos Naturais” | Foto PMF/Divulgação

O tema escolhido pela garotada do 2º ano foi, “Temperos Naturais” que proporcionou o contato com diferentes temperos, legumes, verduras e frutas na horta da unidade. A iguaria escolhida foi o orégano, muito utilizado em pratos por seu sabor e aroma.

Karla Dias, coordenadora do projeto na unidade, explica que “durante a etapa de elaboração do produto os estudantes tiveram um aprofundamento teórico do mesmo bem como uma breve explanação de seus benefícios alimentícios e chás”.

Logo após terem contato com a terra adubada produzida pela compostagem da escola, os mesmos realizaram o plantio das mudas de orégano, que serão expostas e vendidas para a comunidade escolar, assim como os sacos de terra adubada.

Na escola Intendente Aricomedes da Silva, o 5° ano ficou com os sabores e cores e o integral com o tema de artesanato sustentável | Foto PMF/Divulgação

Já a garotada do 3º ano, dedicou-se a produzir bilboquês confeccionados com garrafas pet, que também serão expostos no stand. O passatempo é um brinquedo antigo que consiste em uma esfera de madeira, com um orifício central e presa por uma corda em uma espécie de suporte. Através do movimento das mãos, esta bola deve ser encaixada no suporte.

Produtos

Na escola Intendente Aricomedes da Silva (EBIAS), situada na Cachoeira do Bom Jesus,o projeto começou a ser desenvolvido em setembro com as turmas dos anos iniciais do ensino fundamental e a turma do turno integral, que envolve estudantes dos anos finais, orientados pela coordenadora do projeto, Mariah Amanda da Silva.

Alunos da EBIAS realizou uma oficina de brinquedos ecológicos | Foto PMF/Divulgação

Os temas foram divididos por turmas conforme sugerido pelo material enviado para o estabelecimento de ensino. O 1° ano ficou responsável por criar produtos referentes a ervas aromáticas; o 2° ano, de temperos naturais; o 3° ano realizou uma oficina de brinquedos ecológicos; o 5° ano ficou com os sabores e cores e o integral com o tema de artesanato sustentável. O estabelecimento de ensino apresentou os projetos pensados e projetados pelos educandos no dia 1º de dezembro.

“O trabalho desenvolvido na unidade é um trabalho colaborativo, entre os professores, estudantes e equipe pedagógica, focando no aprendizado e vivência dos estudantes, possibilitando que os mesmos fossem atores de seus próprios sonhos”, conta Mariah.

Cidade Empreendedora

Cidade Empreendedora é uma iniciativa de transformação econômica de municípios, voltado para a gestão pública e lideranças locais (prefeitos), através de programas como o JEPP, por exemplo. O foco do projeto é melhorar o ambiente de negócios através da implantação de políticas publicas e ações de desenvolvimento para os pequenos negócios, fazendo com que os benefícios da Lei Geral das MPEs sejam estabelecidos no município.