UBM promove roda de conversa nesta quinta-feira na Praça Ângelo Piazera

UBM promove roda de conversa nesta quinta-feira na Praça Ângelo Piazera UBM promove roda de conversa nesta quinta-feira na Praça Ângelo Piazera

Cotidiano

Por: Natália Trentini

quinta-feira, 08:30 - 22/02/2018

Natália Trentini
Quem tem tempo, chance ou necessidade de se aprofundar, acaba descobrindo que o feminismo é uma ferramenta que luta pela ampliação dos direitos das mulheres, em busca de uma sociedade mais igualitária. Mas muitas vezes o termo “feminismo” tem afastado pessoas que vêem, erroneamente, o movimento como uma forma de segmentação. Para preparar melhor as pessoas que querem levar adiante esse debate, construindo conhecimento e motivando mudanças, a UBM (União Brasileira de Mulheres) de Jaraguá do Sul realiza nesta quinta-feira (22) uma roda de conversa aberta, às 19h30, na praça Ângelo Piazera. A ideia é debater, especialmente, como conversar com pessoas que mantém uma crença de que as mulheres têm papéis definidos dentro da sociedade – normalmente reduzidos aos cuidados com marido e filhos. Não é novidade: uma realidade que tenta determinar como a mulher deve ser acaba, mesmo sem a intenção direta, tornando o mundo violento e mais difícil para muitas. Só em 1932 as mulheres foram – vejam bem – autorizadas a votar, na década de 1970 homens eram absolvidos por assassinar suas companheiras sob alegação de legítima defesa da honra, a Lei Maria da Penha – maior ferramenta contra a violência doméstica – surgiu só em 2006. E todas essas bandeiras foram levantadas pelo movimento feminista e muitas outras conquistas ainda podem ser feitas para garantir um futuro melhor para meninas, adolescentes, jovens, mulheres e idosas. Debater a ampliação dessa rede é fundamental e mostra a intenção da UBM de incentivar o diálogo e trazer para perto as pessoas que já são feministas, mas ainda não descobriram pelo simples preconceito com o termo. O encontro é aberto, como aponta as organizadoras: “traz todo mundo, sua mãe, seu parceiro, seus amigos, todos podem ajudar a construir a luta”. E caso a chuva apareça, o encontro vai acontecer em uma área coberta, nos fundos do Museu Emílio da Silva. Quer receber as reportagens do OCP Online no WhatsApp? Basta clicar aqui 
×