A parceria entre a Secretaria de Saúde de Criciúma e o aplicativo MOP (Motorista Particular) busca facilitar o transporte de passageiros e garantir a segurança deles, sobretudo em tempos de pandemia. Os usuários, que utilizam o serviço, se encontram em tratamento de hemodiálise, quimioterapia, radioterapia e fisioterapia. Por isso, desde a sua criação em junho até o momento, o projeto aderiu a todas as medidas de segurança para evitar a contaminação de pacientes durante o descolamento, já que muitos possuem a saúde comprometida.

Segundo levantamento da Central de Monitoramento do Aplicativo, a iniciativa já viabilizou mais de 11,4 mil viagens, uma média de 150 por dia. O projeto também conta com 210 pessoas cadastradas. “Antes o transporte de pacientes era feito com carros da prefeitura. Devido à alta demanda, eram levados de três a quatro pacientes por viagem, até por uma questão de logística também. Hoje conseguimos realizar mais viagens, com mais segurança e com apenas um passageiro”, informou o coordenador de transporte da Secretaria Municipal de Saúde, Evandro Bortolotto Prêmoli.

Para aprimorar os cuidados com os pacientes, principalmente neste momento, os motoristas do MOP passaram por capacitação, promovida pela Vigilância Sanitária de Criciúma. “Eles foram orientados a como higienizar o veículo e quais medidas de segurança seguirem. Hoje, por exemplo, eles têm a obrigação de utilizar máscara e de limpar o carro com produto adequado depois de cada viagem”, contou o coordenador.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp