Em pronunciamento on-line realizado no fim da tarde desta quinta-feira, (30), o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, postergou o decreto, para sem “prazo determinado”, em relação ao transporte coletivo, as aulas presenciais e eventos, incluindo esportivos.

Em relação ao transporte e ao futebol, o decreto terminaria hoje, podendo ser renovado, o que ocorreu, porém sem um prazo estipulado.

“Não há um retorno à normalidade. Nossos números são bons se comparados a outros estados, mas precisamos manter a vigilância e proteger os mais vulneráveis. Teremos dias difíceis, um inverno pela frente. Apesar de retomar algumas atividades com segurança, não há normalidade. Nós ainda enfrentaremos o pico desta doença, com previsão para o final do mês de junho. Não podemos relaxar. Não sabemos o que vem pela frente. Somos corresponsáveis por todos”, justificou, pedindo que os cuidados, como higienização, uso de máscara e a não aglomeração permaneçam de forma intensa.

Moisés afirmou que houve um achatamento na curva, em relação aos casos confirmados de coronavírus, informação que pode ser conferida no Portal da Transparência e que, se não fossem as medidas de isolamento tomadas de forma antecipada, Santa Catarina poderia estar contabilizando “centenas e centenas de mortes”.

O estado tem 2.394 casos confirmados da Covid-19 e 48 óbitos.

“Temos que nos acostumar com esse jeito novo de viver. Fica o apelo para que todos tomem os devidos cuidados para que possamos superar as dificuldades. Temos que estar preparados”, concluiu.