O Governo de Santa Catarina confirmou a identificação dos dois primeiros casos autóctones (transmissão dentro do estado) da variante de atenção P.1. do coronavírus, conhecida como a variante brasileira.

Os casos foram confirmados pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/SC) no dia 2 de março e tiveram as amostras encaminhadas para o Laboratório de Referência Nacional para Santa Catarina - a Fundação Oswaldo Cruz do Rio de Janeiro, que realizou o sequenciamento genético.

Os pacientes residem nos municípios de Joinville, no Norte catarinense, e Camboriú, no Vale do Itajaí. São dois homens, um de 39 e outro de 68 anos, os quais não tinham registro de viagens, nos últimos 30 dias, para outras áreas do país com transmissão comunitária reconhecida da variante P.1.

Com isso, é possível afirmar que a variante brasileira já circula ativamente no estado. Estudos preliminares apontam que essa cepa é mais contagiosa e tem capacidade de infectar quem já teve a doença e desenvolveu anticorpos.