Em assembleia na manhã desta sexta-feira, no Parque das Nações, em Criciúma, os trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), em greve desde a última terça-feira, aceitaram a proposta da Ozz.

Eles devem receber o reajuste salarial acumulado dos últimos quatro anos de 18,24% em quatro meses, no percentual de 4,56% ao mês, a partir da próxima folha de pagamento, referente ao mês de setembro, e meses subsequentes.

Um total de dez funcionários por mês usufruirão das férias. Todos terão pelo menos 60 dias de estabilidade e a falta no trabalho para reivindicação dos direitos será abonada. O acordo firmado vale somente para os funcionários da região de Criciúma e Araranguá.

Havia um ponto pendente em relação à suspensão das ações impetradas pelo sindicato de débitos antigos. A Ozz pedia que fossem liquidados somente após o recebimento de verba do Governo do Estado, proposta não aceita.

"Avaliamos que a participação e união de todos foi importante. É necessário lutar pelos nossos direitos sempre em nossa vida e nosso trabalho", destacou o presidente do Sindisaúde, Cleber Ricardo da Silva Cândido.

Cerca de 50% do efetivo do total de 230 pararam. São enfermeiros, motoristas-socorristas, técnicos-auxiliares de regulação médica (TARM) e rádio-operadores da região de Criciúma e do Vale do Araranguá.