Nesta quinta-feira, os serviços de saúde de Criciúma continuaram a realização de testes rápidos sendo totalizados 47 casos notificados de coronavírus em moradores da cidade, conforme Boletim Epidemiológico emitido na noite desta quinta-feira.

O número já era esperado pelo secretário de Saúde, Acélio Casagrande que, na live da Prefeitura, no Facebook, no fim da tarde, anunciou que passariam hoje dos 40 casos somente de moradores de Criciúma.

Ontem eram 38 moradores da cidade confirmados com o Covid-19, nove a menos.

Dos novos nove pacientes de Criciúma, dois estão na faixa etária, de 20 e 40 anos, e sete, de 50 a 70 anos, sendo cinco homens e quatro mulheres.

Do número total, 11 já são considerados recuperados.

Outros quatro casos foram registrados de outros municípios, totalizando 25.

Somando, são 72 casos confirmados notificados na cidade.

Ao todo, então, são 13 novos casos em 24 horas.

Ontem, neste horário, eram 59 casos confirmados de Covid-19 notificados em Criciúma, 21 deles residentes de outros municípios.

Dados

Até o momento foram realizadas 322 coletas de amostra para análise de Covid-19 em Criciúma, sendo casos 219 descartados.
Entre suspeitos e confirmados, há 18 pacientes internados, dez deles em UTI,s.

Óbitos

Foram quatro óbitos por coronavírus notificados na cidade, um deles de uma moradora de um município vizinho, mas que estava internada em Criciúma.

O primeiro caso foi do empresário Evaldo Stopassoli, de 73 anos.

O segundo, ocorrido na quinta-feira da semana passada, mas confirmado no sábado, foi de uma idosa de 71 anos, moradora de Balneário Gaivota, que estava internada na cidade.

O terceiro foi na segunda-feira, de uma idosa de 79 anos, moradora da cidade, que já possuía comorbidades.

E o quarto caso de óbito confirmado por coronavírus, contabilizado na terça, foi de um idoso, de 87 anos, portador de diabetes.

Prevenção

A Vigilância Epidemiológica de Criciúma reforça que estão sendo tomadas medidas de prevenção e controle referentes a estes casos, tal qual ocorre com os casos notificados pelas instituições hospitalares.

Ressalta também que os pacientes que fazem testes rápidos são justamente os que não tem critério de gravidade para fazer a coleta hospitalar e que estão com quadro clínico estável e em isolamento domiciliar.

Foto Studio OCP