A implantação do programa PMSC Mobile, que equipou todo o efetivo da Polícia Militar com tablets e impressoras em dezembro, diminui em 50% o tempo empenhado em ocorrências, dando mais agilidade aos processos. A informação é do comandante do 14º Batalhão da PM, tenente-coronel Rogério Vonk, que ontem fez um relatório de atividades na plenária da Acijs (Associação Empresarial de Jaraguá do Sul). A redução no tempo ocorre porque não há a necessidade de passar os relatos do papel para o computador. Com isso, pelo menos dois policiais que antes estavam empenhados em funções burocráticas devem voltar às ruas. A efetividade policial continuará crescendo, segundo o comandante. “É uma economia de papel e tinta, mas acima de tudo ganha-se muito na qualidade de informações. É um sistema integrado, a possibilidade de erro é remota. Sem contar que vai tudo para o sistema”, disse. Além da utilização de tecnologia em ocorrências, integração com a comunidade, treinamento físico e outras formas de capacitação policial foram fatores relacionados pelo comandante na apresentação de ontem. Em 2016, ele completa um ano à frente da corporação, que administra a Polícia Militar também em Guaramirim, Schroeder, Corupá e Massaranduba. Jaraguá do Sul foi destaque em Santa Catarina por registrar somente um caso de homicídio e outro de latrocínio em 2015. No ano anterior, foram sete homicídios e em 2013 aconteceram cinco casos. “A soma desses projetos e outros tantos fatores sociais levou a essa consequente baixa no número de homicídios”, avaliou Vonk. Mais investimentos Para este ano, através de parceria com o Poder Judiciário, devem ser adquiridas 70 câmeras para utilização individual dos policiais. O equipamento irá gravar a rotina de cada membro do efetivo e dar transparência à atuação dos profissionais. Com a abertura de um concurso com 415 vagas para agentes temporários em Santa Catarina, beneficiando o município com sete profissionais, o comandante destaca que deve ser reforçado o monitoramento das 60 câmaras espalhadas pela cidade. Vonk também destaca que o batalhão pretende estabelecer um convênio com a Prefeitura para atuar no monitoramento dos comerciantes ambulantes, uma estratégia preventiva. “A gente não sabe quem está batendo de porta em porta e queremos ter a competência de abordar esses ambulantes”, explica o comandante. A meta durante 2016 também é incluir a compra de dez novos veículos para substituição da frota e compra de fardas para todo o efetivo. Os recursos devem vir do convênio de trânsito, que acumula dinheiro proveniente de multas.