Estão suspensas, desde 17 de março, as cirurgias eletivas, de média e alta complexidade, em todo o estado de Santa Catarina.

A estimativa é de que, só em Criciúma, mais de 4.700 cirurgias estejam represadas.

O cenário tem preocupado o Legislativo de Criciúma que discutiu o assunto em reunião na Capital, nesta sexta-feira.

Os vereadores Tita Belloli e Pastor Jair Alexandre, presidente da Comissão de Saúde da Casa, estiveram com o superintendente de Serviços Especializados e Regulação da Secretaria de Estado da Saúde, Ramon Tártari, que também faz parte do COES, o Centro de Operações de Emergência em Saúde.

Segundo o superintendente, uma portaria será encaminhada ao Governo Estadual solicitando que, a partir do dia 25 de maio, haja o retorno de 50% das cirurgias eletivas de média complexidade.

Os procedimentos de alta complexidade, segundo Tártari, seguem sem previsão de retorno, mas com atenção para casos urgentes.

Respiradores

Na oportunidade, os vereadores questionaram ainda o andamento da viabilização de respiradores para o Hospital São José (HSJ), equipamento fundamental no enfrentamento ao coronavírus.

“O Ramon nos garantiu que até a primeira quinzena de junho o Hospital São José receberá mais 40 respiradores. Saímos um pouco aliviados com essa informação e sabendo do possível retorno das cirurgias de média complexidade, mas ainda há muito a ser buscado”, pontuou o presidente do Legislativo, Tita Belloli.