“Eu sou o homem dos cachorros. Uma lenda urbana. Não procure lógica na minha história que você vai encontrar um tratado de psicologia, onde o previsível não existe”.

Esse é o poema, breve e direto, do homem que prefere a companhia dos cães a dos homens. Um poeta, um filósofo ou uma lenda urbana atual?

Muitas faces em um único cidadão. João Tomaz da Silva ou, simplesmente, seu João dos Cachorros. O homem que, nas últimas décadas, circula pelas ruas de Criciúma acompanhado de seus amigos de quatro patas. O homem que lutou, da forma como podia, para reencontrar uma filha, separada pelo destino que a reviravolta da vida proporciona.

Seu João, 75 anos, morador do bairro Mina do Mato, em Criciúma, ficou sem ver Carmen Cristina por mais de 40 anos. Um desentendimento com a mãe de sua filha, à época, o tirou do Paraná e levou para longe da pequena.

“Carmen Cristina tem 47 anos, quando eu saí ela tinha 3 anos. Foi uma meia vida que eu fiquei sem ver ela. Papai sempre te amou, mas não havia condições de ficar com ela”, comentou seu João.

A história de Carmen e seu João dos Cachorros

O reencontro se deu em 2021. Décadas longe não desanimaram o homem apaixonado pelos animais. Com poucas informações, mas muita disposição ele seguiu fazendo o caminho entre Criciúma e Curitiba. Seu João conta que pediu ajuda aos “Santos” para que dessa vez a viagem não fosse em vão.

Ele foi até uma amiga que sabia o paradeiro da filha e ficou emocionado ao ver que, dessa vez, ela estava escrevendo o endereço de Carmen Cristina.

“Passei o dia todo em choque, tanto que umas coisas que eu comprei numa loja, eu perdi. Deixei no ônibus. Cheguei na casa da minha filha, ela desceu e conversei muito. Foi emocionante”, relembra ele.

Assim, aos poucos, o contato entre os dois está sendo retomado. Carmen Cristina Thomaz da Silva ficou sabendo por uma pessoa conhecida que o pai procurava por ela.

“O tempo perdido, os anos distante um do outro, não se recupera mais, mas vamos seguindo. Hoje não tenho como ir visitar ele em Santa Catarina. Nos vimos poucas vezes”, comentou.

As visitas, mesmo que raras, são bem aproveitadas para que os dois se conheçam melhor.

Fotos: Marli Vitali / Jornalismo UniSatc

No vídeo, seu João conta um pouco da sua história que encanta, sai dos padrões convencionais e serve para relembrar do ser único que ele é.

Confira clicando AQUI!

 

 

Por Marli Vitali / Jornalismo UniSatc