A Assembleia Geral dos servidores do Porto de São Francisco do Sul na tarde de terça-feira (12) optou pelo fim da greve no início da noite de ontem. Os grevistas ouviram e avaliaram as propostas feitas pelo governo do Estado na manhã de terça-feira (12) e nesta quarta-feira (13) por volta das 7 horas, retornaram as suas atividades. Na reunião com o secretário de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa, segundo o servidor do Estado e Controlador Interno do Porto, Anderson Neoman Gomes, o governo apresentou uma proposta de complementação de valores do vale-alimentação, garantia de estabilidade e permanência no emprego, anistia dos dias parados da greve, além de uma perícia que poderá conceder até 40% do vencimento como adicional de insalubridade. A assembleia dos servidores foi iniciada por volta das 17h30 no pátio do Porto, onde foram repassados os informes da proposta oferecida. A maioria dos servidores aceitou as condições e as atividades foram retomadas nesta quarta-feira (13). A greve foi iniciada às 0h de segunda-feira (11) e desde então o acesso ao Porto estava bloqueado. A reunião em Florianópolis iniciou por volta do meio-dia de terça-feira (12) para discutir a pauta de reivindicações. Estiveram presentes o secretário da Casa Civil, Nelson Serpa e o presidente da Scpar, Gabriel Vieira, além de lideranças do Porto. Representantes do Governo do Estado consideraram precipitado o movimento grevista, alegando que a Sociedade de Propósito Específico (SPE), ainda a ser criada e que ficará responsável pela administração do porto, terá como único sócio o governo estadual – permanecendo 100% pública. As operações do porto público de São Francisco do Sul estavam paralisadas desde a 0h de segunda-feira (11), quando os trabalhadores cruzaram os braços em reação contrária a sanção da Lei Complementar 707/2017. O coordenador do Porto não sabe precisar o valor do prejuízo até o momento, mas já sabe que a greve causou impacto na economia, em torno de 1 milhão por dia. Cada navio que atraca gira em torno de R$ 60 a R$ 70 mil dólares de prejuízo por dia. E por dia, em torno de três navios atracam no Porto de São Francisco do Sul.