Cerca de 230 funcionários do Porto de São Francisco do Sul no Norte do Estado pararam as suas atividades desde às zero horas desta segunda-feira (11). Com isso, os portões estão fechados, não sendo possível a entrada e nem a saída de navios e de caminhões. A paralisação já era prevista desde a semana passada quando a categoria decidiu entrar em greve devido a aprovação na Assembleia Legislativa e sanção do governador Raimundo Colombo do projeto de lei que tira o status de autarquia do órgão. Segundo o servidor do Estado e Controlador Interno do Porto, Anderson Neoman Gomes, o governo tomou decisões sem consultar os servidores. “Rejeitamos o projeto porque o governo quer que o porto seja administrado pela SC Parcerias, que é o braço do governo estadual responsável pelas parcerias público-privadas”, revelou Anderson à reportagem do Jornal de Joinville. De acordo com ele, cinco emendas ao projeto foram rejeitadas pelos deputados. Entre elas, uma que dizia que os R$ 100 milhões que estão no caixa da autarquia só poderiam ser usados para investimentos futuros.
Presidente da Administração do Porto Arnaldo S. Thiago | Foto Divulgação
“Além da manutenção dos empregos, ainda querem criar a Sociedade de Propostas Específicas (SPE) e que ela seja pública”, reclama o servidor. Ele também cobra mais iluminação e segurança no Porto. “Sem falar na nossa BR-280 que está um caos”, disse. A direção da Unidade garantiu que os empregos vão ser mantidos. A preocupação dos funcionários é que eles deixem de ser funcionários do Porto de São Francisco do Sul e passem a ser funcionários da Secretaria de Estado da Infraestrutura. “Todos têm medo desta transferência”, afirma Anderson. O prefeito de São Francisco do Sul, Renato Gama Lobo, disse que uma comissão vai até o Ministério Público Federal tentar uma negociação para o fim da paralisação e também para a manutenção dos empregos e a manutenção da Administração do Porto de São Francisco do Sul. Conforme Anderson, amanhã de manhã um grupo vai até o Centro Administrativo conversar com o secretário Nelson Serpa, em Florianópolis. “Vai depender desta conversa pelo fim ou não da paralisação”, revela o controlador do Porto. Segundo ele, já passa de R$ 1 milhão o prejuízo devido a paralisação desta segunda-feira.
Prefeito de São Francisco do Sul, Renato Gama Lobo, participou do ato | Foto Divulgação