Os servidores municipais de Florianópolis ignoraram a decisão judicial e mantiveram a paralisação das atividades. Mais: ganharam o reforço dos servidores da Comcap, empresa de limpeza urbana e coleta de lixo, que ficarão por 24 sem realizar os serviços. Na tarde desta quarta-feira (18) os manifestantes ocuparam desde cedo o calçadão em frente à Câmara de Vereadores. O polêmico projeto "Creche e Saúde Já" está na pauta de votação da sessão desta tarde, que promete reviver o clima de discussões entre vereadores e manifestantes. O desembargador Héli0 do Valle Pereira determinou, em despacho expedido nesta terça-feira (17), que os servidores municipais de Florianópolis das áreas de saúde e educação voltassem ao trabalho e encerrassem a greve. A decisão da Câmara de Vereadores de aprovar, por 16 votos a 5, a mudança do rito do PL que autoriza a prefeitura a terceirizar serviços de saúde e educação deixou os servidores ainda mais insatisfeitos. "Nossa resposta será com a greve e mais greve", diz o presidente do Sintrasem, Renê Muraro. A decisão do desembargador Hélio do Valle Pereira prevê o corte do ponto dos servidores que não retornarem ao trabalho.