Um vídeo publicado nas redes sociais pelo prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, segue repercutindo na cidade. Na publicação Salvaro afirma que os usuários da Casa de Passagem do Município devem trabalhar para seguir utilizando os serviços do local. Conforme o prefeito, há cerca de 20 pessoas abrigadas no local.

Após a fala, a Secretaria de Assistência Social e Habitação instalou em frente à Casa, localizada no bairro Pinheirinho, uma tenda, onde está sendo realizado o cadastramento de pessoas para o encaminhamento ao mercado de trabalho. Até o momento, seis pessoas em situação de rua que estavam no local se cadastraram para as vagas.

"Na data de ontem nós fizemos seis cadastros e nós vamos estar encaminhando para três empresas que já temos parceiras e até sexta-feira seguiremos na tenda na Casa da Passagem para cadastrar mais pessoas. É importante frisar que essa tenda dos empregos é exclusivamente para quem está em situação de rua", explicou o secretário de Assistência Social, Bruno Ferreira.

"Esse tipo de encaminhamento para o mercado de trabalho a gente já faz com os nossos educadores sociais nas nossas abordagens de rua. Principalmente com aquelas pessoas que estão na rua pedindo esmola, a gente aborda eles, nós temos algumas empresas que tem parceria a Secretaria de Assistência Social e então a gente faz esse encaminhamento para o mercado de trabalho, mas isso é facultativo, não é obrigatório", completou o secretário.

Nos últimos 20 dias somente um morador em situação de rua foi encaminhado para uma vaga de emprego em Criciúma, os demais não demonstraram interesse, afirmou o representante do Município.

A Casa

A Casa de Passagem Vida Livre é um equipamento pertencente à Secretaria de Assistência Social e Habitação, que fica localizado na rua Giácomo Sônego Neto, 415, no bairro Pinheirinho e funciona 24h por dia. Na casa são realizados encaminhamentos, prestados auxílios para a elaboração de currículos, além de conter dormitórios, refeições e higiene pessoal a disposição dos usuários.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp