Uma reunião está marcada para as 13h desta quinta-feira (29) para discutir as medidas contra a Covid-19 aplicadas nas escolas da rede estadual de Santa Catarina. Podem até mesmo acontecer mudanças em alguns pontos dos protocolos utilizados nas salas de aula.

O comitê que decide sobre a retomada das aulas presenciais é formado pela SED (Secretaria de Estado da Educação), SES (Secretaria de Estado da Saúde) e outras 12 entidades. Os encontros acontecem periodicamente.

Na pauta desta quinta-feira (29) está a apresentação do projeto piloto da SED que pretende realizar a testagem rápida de alunos da rede pública que estejam com suspeita da Covid-19.

Testes rápidos

As aulas estão previstas para retornarem somente na modalidade presencial a partir do primeiro semestre de 2022, informou o secretário estadual de Educação, Luiz Fernando Vampiro, em entrevista ao ND+.

Ele explica que desta forma não será possível ficar cancelando e retomando as aulas presenciais das turmas por demora na espera dos resultados dos testes da Covid-19.

“Trata-se de um regramento de biossegurança moderno. Em 2022 ainda teremos pandemia. A ideia é implantar uma testagem rápida, salival, como ocorre nas Olimpíadas de Tóquio. Precisamos retomar a normalidade”, afirma.

A princípio, o plano é fazer com que o aluno ou professor com suspeita de Covid sejam encaminhados a um posto de saúde para o teste rápido. O projeto piloto vai iniciar ao longo do segundo semestre de 2021 e colocado em prática em 2022.

“Já estamos alinhando com a Saúde a implantação de uma metodologia que dê segurança. Neste semestre de 2021 vamos reunir a expertise para que, em 2022, o projeto esteja afinado e ocorra nos 295 municípios”, disse Vampiro.

Abandono escolar e faltas

A evasão escolar ocorrida ao longo da pandemia e a aplicação de faltas também vão ser temas discutidos na reunião desta quinta-feira. De acordo com o secretário, cerca de seis mil alunos matriculados não frequentaram as aulas em 2020, conforme foi monitorado pelo Estado.

Por meio de uma busca ativa, mais de mil alunos foram localizados e voltaram a estudar em 2021. Porém, cinco mil continuam sem estudar.

Diante deste cenário, o secretário defende que devam ser aplicadas faltas aos alunos que não comparecerem às salas de aula nos dias marcados. Tal medida deve ser adotada já a partir do segundo semestre deste ano.

O objetivo para o segundo semestre de 2021 é encontrar os alunos que deixaram os estudos e intensificar a relação entre aluno, escola e professor.

Reduzir o distanciamento

Está na pauta, também, reduzir o distanciamento dentro das salas de aula, de 1,5 metros para 1 metro. Sendo assim, seria possível colocar mais alunos nas salas de aula. O plano é colocá-la em prática já neste segundo semestre de 2021.

Toda a proposta segue a recomendação de segurança da OMS.

O início do segundo semestre letivo da rede estadual está marcado para a próxima segunda-feira (2).

O segundo semestre letivo da rede estadual de ensino vai começar na próxima segunda-feira (2).