Hospitais de Santa Catarina correm o risco de ficarem sem medicamentos importantes que fazem parte do chamado “kit intubação”, um conjunto de remédios necessários para anestesia, relaxamento muscular e sedação, que fazem parte do tratamento da Covid-19.

O baixo estoque é admitido pela própria Secretaria da Saúde, em função do grande consumo por conta das lotações das unidades de terapia intensiva do sistema hospitalar.

Entre os medicamentos que correm risco de desabastecimento estão Atracúrio, Propofol e o relaxante muscular Rocurônio.

A Secretaria de Saúde já encaminhou pedidos de compras dos medicamentos às indústrias farmacêuticas, mas a alta demanda em todo o país dificulta o fornecimento.