A Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, informa que é falsa informação que vem circulando nas redes sociais nos últimos dias de que aferição de temperatura por termômetros infravermelhos causam danos à glândula pineal.

 

 

A notícia seria de que os termômetros emitem raios infravermelhos, o que não é verdade. O termômetro capta a radiação infravermelha emitida pelo próprio corpo humano apontando o objeto para a testa. A luz emitida pelo aparelho auxilia para apontá-lo corretamente sendo utilizado como guia, e incapaz de emitir a radiação citada.

O aparelho não tem capacidade de ultrapassar as camadas da pele e afetar não só a glândula pineal como qualquer outra parte do cérebro humano. A administração municipal alerta ainda que a afirmação feita de danos à saúde não possui nenhuma base científica.

No Brasil todos os termômetros infravermelhos precisam passar por validação no INMETRO e registo na ANVISA. O fabricante indica na própria embalagem do produto qual o melhor lugar para captação de temperatura, e neste caso, a testa é o mais indicado, uma vez que é o espaço mais fácil para manter a distância indicada para aferição e onde está mais descoberta.

Em Florianópolis, como medida de prevenção e controle ao novo coronavírus, o uso de termômetros é obrigatório em shoppings, galerias, supermercados, igrejas e instituições religiosas que comportam mais de 300 pessoas, além de ser utilizado na barreira sanitária no Aeroporto Internacional Hercílio Luz.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp