A vitamina B12, que tem como principais fontes a carne vermelha e o leite, é essencial para o bom funcionamento do organismo de todas as pessoas. A deficiência dela pode levar a casos de anemia macrocítica (célula grande). Dessa forma, as células sanguíneas anormais têm menor capacidade de transportar oxigênio, o que acaba por causar fadiga, ou seja, o temido e incapacitante cansaço. A falta de B12 também pode provocar quadros de confusão, depressão, irritabilidade, falta de concentração, apatia, oscilações de humor e queda de cabelo. Outro prejuízo associado à inexistência da vitamina no organismo é o aumento da homocisteína, que significa maior formação de placas ateroscleróticas e obstrução arterial. Ela é um produto de degradação da metionina potencialmente danoso para a saúde do corpo. Esses fatores geram problemas cardíacos e ocorrências de AVC (Acidente Vascular Cerebral). Boa parte da deficiência de B12 se deve à absorção insuficiente devido à intolerância à lactose, doença celíaca ou pela idade. Pessoas idosas costumam perder a capacidade de absorver a vitamina por causa da redução das secreções estomacais (ácido gástrico e enzima pepsina). Também à medida que envelhecemos a mucosa gástrica deixa de sintetizar o fator intrínseco, que é a proteína transportadora de vitamina B12. Na absorção normal, o fator intrínseco secretado se liga à B12 (com o cálcio) e transporta a vitamina para a parte inferior do intestino delgado, onde é absorvida pela parede intestinal e lançada na corrente sanguínea. Por tudo isso, a vitamina é totalmente indispensável na dieta de todos nós. Quem é vegano, por exemplo, necessita de suplementação de B12 para evitar prejuízos à saúde. Já os intolerantes à lactose ou que tenham doença celíaca, assim como os idosos, devem ficar atentos aos seus exames e acompanhar os níveis da vitamina.