São Paulo, a cidade com mais casais pulando o muro? Dados do Ashley Madison, maior site de casos extraconjugais do mundo, apontam São Paulo como a cidade com maior número de inscrições do mundo . A cada mês, mais de 100 mil brasileiros se registraram no site, realizando 40 mil conexões. Isso significa que, enquanto os homens e as mulheres podem não estar vivendo felizes para sempre após o casamento, não os impedem de buscar um "final feliz" com outro alguém.

Mulheres brasileiras assumem o comando da sua libido

O Brasil oferece um ambiente propício para a tentação. Números do Ashley Madison revelam que as mulheres do Brasil estão explorando opções além da monogamia, e revelam que mais mulheres do que homens se registram no site. Para cada homem pagante existe 1,5 mulher ativa - o que indica uma forte demanda do sexo feminino no site e, possivelmente, uma nova era para a cultura de relacionamentos no Brasil. Este crescimento de inscrições de mulheres pode apontar uma tendência do desejo das mulheres brasileiras de assumir maior controle sobre suas vidas.

Casais enfrentam menos pressão para continuar casados

Recentemente, o Brasil amenizou suas leis de casamento historicamente rigorosas devido à evolução da visão sobre o casamento no país. Desde 2010, a nova legislação sobre divórcios não exige que os casais esperem no mínimo um ano para solicitar um divórcio, e também não os obriga mais a declarar o motivo da separação.

Com o divórcio mais acessível, os brasileiros não enfrentam as mesmas regras rigorosas se seu relacionamento não estiver dando certo, especialmente se eles mesmos quem iniciam a separação. Como resultado, parece que as mulheres tomaram isso como sugestão para relaxar suas limitações de relacionamento e ser mais assertivas quando se trata de "se dar bem". Sendo um país com mais mulheres do que homens entrando no site, o Brasil ocupa um lugar único na comunidade Ashley Madison.