A alta do dólar favoreceu as exportações do Brasil. Dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia, mostram que o mês de abril de 2021 marcou uma temporada recorde no comércio exterior brasileiro. O superávit ficou em US$ 10,35 bilhões, um crescimento de 67,9% em relação a abril de 2020. As exportações também bateram recorde, com aumento de 50,5%, somando US$ 26,48 bilhões.

Os dados chamam atenção de muitos empreendedores que buscam internacionalizar seus negócios.

“Mesmo com a pandemia do Coronavírus, uma das tendências, em especial para as empresas brasileiras, é expandir fronteiras e buscar novos mercados. E este não é um movimento apenas de grandes corporações, até as pequenas empresas buscam atender clientes dos mais diferenciados países”, informa a contadora e diretora da Contax Contabilidade e Planejamento Tributário, Debora Christiane Correa.

Para a especialista em exportação, Sheyla Patrícia Pereira, diretora da Father Gestão Internacional, os empresários não podem ver a exportação apenas como uma oportunidade na alta da taxa do dólar. “A exportação é uma decisão estratégica da empresa para a expansão dos negócios. A alta da taxa do dólar torna esse momento propício para exportação, mas sem um planejamento estratégico de longo prazo, a iniciativa acaba sendo oportunismo e não gera os resultados esperados para o negócio.” explica.

Sheyla informa que as empresas que desejam internacionalizar seus produtos, o primeiro passo é o RADAR, ou seja, se habilitar junto à Receita Federal para exportar o produto. “Após esse passo, a empresa precisa definir seus parceiros logísticos, comerciais e estratégicos e, por fim, ter alicerces estratégicos, como uma contabilidade que entenda do processo de exportação”, relata.

Como a contabilidade pode ajudar a exportar

Orientações fiscais: a contabilidade auxilia no cumprimento das obrigações fiscais. No comércio exterior, cabe ao profissional contábil orientar da parte fiscal e auxiliar o cliente nos processos de exportação também.

Formação do preço final: através da análise das cargas tributárias sobre o produto a ser exportado, a contabilidade auxilia na formação de preço de venda do produto final. Essa etapa é extremamente importante, pois evita perdas e gera competitividade de mercado.

Liberação do RADAR: o RADAR - Siscomex é uma ferramenta para qualquer empresa que atua com processos de importação ou exportação. Criado pela Receita Federal Brasileira, o sistema é utilizado para evitar fraudes em relações de comércio exterior. A contabilidade auxilia nesse processo de liberação junto ao RADAR, para assim, ter a autorização da Receita Federal para exportar o produto.

Debora explica, ainda, que é preciso levar em conta a importância de manter um prestador de serviço que observe e se mantenha atualizado na legislação vigente tanto às normas de comércio exterior quanto às normas de contabilidade.

“Passamos por um momento propício para exportação e exportar tem se tornado cada vez mais uma saída para quem deseja crescer e explorar oportunidades de mercados externos, por isso, atentar-se aos procedimentos necessários é importante para quem deseja entrar nesse mercado. A exportação é uma área que envolve muitas legislações diferentes, tributos e acordos entre os países, por isso, se o seu negócio é exportar, ter à disposição especialistas que consigam apontar contingências, demandas e oportunidades para este negócio é um grande diferencial. A contabilidade e o profissional do comércio exterior são grandes aliados para garantir competitividade no negócio” conclui Debora.