Nascido na região do Cariri, ao Sul do Ceará, terra do célebre poeta Patativa do Assaré, em 9 de agosto de 1977, Ailton Romeu Viana, ou simplesmente Romeu Viana, como é mais conhecido, é o décimo de 12 filhos de Maria José Viana Cardoso e José Romeu Cardoso. Aos cinco anos, se transferiu com a família para Juazeiro do Norte,  de onde guarda grandes lembranças. E foi lá que o menino cresceu e descobriu a afinidade com o meio artístico, especialmente com a literatura de cordel e a poesia. Mais tarde, colocou a mochila nas costas, o violão debaixo do braço e decidiu conhecer o Brasil de ponta a ponta. Na sua trajetória de viajante inquieto, foi engraxate, faxineiro, vendedor de livros usados, letrista, serigrafista, garçom e recenseador. Romeu já percorreu os Estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Alagoas, Minhas Gerais, e São Paulo, onde morou quatro anos, antes de aportar na “Santa e Bela Catarina”. A escolha de Jaraguá do Sul foi aleatória. “Estava no guichê da rodoviária de Joinville e fiquei olhando a placa com os nomes das cidades. Vi ‘Jaraguá do Sul’ e comparei a ‘Juazeiro do Norte’, de um extremo a outro do Brasil... Aí pensei: é para lá que vou”, recorda, sorrindo. Na cidade há seis anos, passou a trabalhar como operador de máquinas em uma grande indústria e, pela primeira vez, pensa em ficar em um lugar. Lá ele também é palestrante motivacional para os colegas da empresa. Paralelamente à atividade fabril, o artesão, desenhista e artista nordestino é autor dos livros “O Andarilho”, e dos cordéis “O Sabiá e o Beija-Flor”, “Amor de pé-de-serra” e “Saudades de minha terra”. Em 2010, recebeu o Prêmio Cataratas na Feira Internacional do Livro, ao obter o 2º lugar na categoria Poesia com “Abandonados”, pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu (PR). Em setembro de 2015, Romeu Viana foi empossado como um dos 15 membros da Academia de Letras do Brasil – Santa Catarina (ALBSC) da Seccional Jaraguá do Sul. E hoje, busca apoio para publicar a versão em espanhol da obra “O Andarilho”, e para as poesias haikai (pequena composição poética japonesa) “Partículas do Universo”, inéditas. Para conhecer melhor a obra de Romeu Viana, basta seguir o artista na página “Gibão de Papel” do Facebook, no Instagram, ou contatar pelo romeu.viana@hotmail.com.