O aplicativo Rever se tornou a principal ferramenta utilizada pela Fundação do Meio Ambiente de Criciúma (Famcri) na conscientização dos moradores sobre o ecossistema, gestão e registros de todas as ocorrências de atendimentos feitas ao público. Recentemente, a plataforma recebeu melhorias na funcionalidade para efetuar reclamações relacionadas a denúncias ambientais, como descarte de lixo em local inadequado.

"O contribuinte poderá utilizar o aplicativo no celular e realizar o protocolo, assim como ter acompanhamento do andamento de sua denúncia. O cidadão que vai até o órgão para informar outras situações, estas são registradas na plataforma web do Rever utilizada pelos funcionários da Famcri", comentou o sócio fundador da Appso Tecnologia, Fabrício Cardoso de Jesus.

Com função principal de um lembrete automático que avisa sobre a passagem do caminhão da coleta seletiva pela rua do bairro do cidadão, o Rever já conta com mais de dois mil downloads efetuados nos aparelhos celulares pela população e está disponível no App Store e Play Store.

"Com essa utilidade é possível obter um controle geral das denúncias recebidas, assim como uma melhor organização interna na distribuição e respostas. Mantivemos também o mural de divulgação de informativos, campanhas, orientação sobre resíduo e a realização da educação ambiental online", explicou o diretor de Licenciamento e Fiscalização da Famcri, Felipe Soratto Monteiro.

Atividades de educação ambiental

Em abril, a Famcri disponibilizou no Rever e nas suas redes sociais do Instagram e Facebook projetos de educação ambiental de forma virtual. São atividades como jogos, dicas, desafios e aulas de como produzir materiais sustentáveis, entre outros. Podem ser realizadas em casa com toda a família, tendo o intuito de conscientizar a população sobre a importância da educação ambiental em todos os momentos.

"Por conta da ótima adesão, ainda mais melhorias estão sendo estudadas no aplicativo. O Rever mostrou além de uma fonte de informações, mas de contato direto com os cidadãos", concluiu a presidente da Famcri, Anequésselen Bitencourt Fortunato.