Um novo problema à vista criado pelas paralisações dos caminhoneiros: já está faltando gás de cozinha no comércio da Grande Florianópolis.

Os bloqueios dos caminhões na região impedem a chegada dos distribuidores nas revendas e os botijões de 13 quilos e de 45 quilos não estão mais à venda. Os caminhões que abastecem condomínios também não estão chegando.

Confira as principais notícias sobre a greve minuto a minuto. Clique aqui

Quatro revendas, localizadas em quatro regiões de Florianópolis (João Paulo, Centro, Ingleses e Lagoa), informaram à reportagem do OCP que seus estoques haviam acabado. “E não há previsão de entrega porque os caminhões não conseguem chegar”, disse a atendente de uma das revendas, que preferiu não se identificar.

Na Ultragaz do Bairro João Paulo a revenda tinha apenas botijões vazios. “O telefone não para de tocar com as pessoas atrás do gás, mas acabou. E até normalizar vai levar tempo”, disse o gerente Roberto Silva.

O gás de cozinha é regulado pela ANP e em Florianópolis o sindicato que cuida dos interesses da categoria é o Sintrapetro. A reportagem não conseguiu falar com os responsáveis.

Já o gás natural, de acordo com a SC Gás, está com sua distribuição normal, uma vez que o abastecimento é feito por dutos.