O Hospital Municipal São José (HMSJ) abriga a segunda residência em clínica médica mais antiga de Santa Catarina. Neste ano, são celebrados os 25 anos do primeiro processo seletivo para formandos em cursos de Medicina, somando 198 residentes recebidos, entre 1992 e 2017. As bolsas são financiadas na proporção de 60% pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria da Saúde, e de 40% pelo Ministério da Educação (MEC). Para comemorar a data, nesta quinta-feira (23), às 20 horas, o HMSJ reunirá atuais e ex-residentes, além da diretoria, no Hotel Bourbon. Antes da celebração com um jantar, será realizada uma aula comemorativa sobre os 25 anos da antibioticoterapia, ministrada pelo médico infectologista Luiz Henrique Melo, que foi o primeiro chefe da residência em clínica médica do HMSJ. O evento terá o patrocínio do Laboratório MSD. O atual chefe do Departamento de Clínica Médica do HMSJ, o médico pneumologista Fabiano Luis Schwingel, define a residência como essencial para investigar os casos complexos, que não têm diagnóstico óbvio. “Os médicos integrantes da residência em clínica médica atendem os pacientes de alta complexidade e, na condição de aprendizes, estão estimulados ao desafio de encontrar e indicar o melhor tratamento”, explica. A residência em clínica médica tem valor de pós-graduação e dura dois anos, após os seis anos da Faculdade de Medicina. Durante este período, o médico residente atua sob a supervisão constante de médicos experientes, para orientar tanto o atendimento como a própria formação dos novos profissionais. Por conta disto, o HMSJ tem caráter universitário e educacional. Hoje, são 14 médicos fazendo residência em clínica médica no 1o ano, e outros 14 no 2o ano. De acordo com o médico Fabiano Schwingel, a demanda clínica do HMSJ depende dos profissionais da residência, que também contribuem nas especialidades do Hospital Regional. Em média, 80% dos médicos plantonistas do Pronto Socorro do HMSJ foram formados na clínica médica do próprio hospital. Dos que atuam nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI´s) do HMSJ e do Regional, cerca de 50% fizeram a residência no HMSJ. Na Rede de Atenção Básica, cerca de 500 a 600 atendimentos semanais têm a participação dos médicos residentes. “Médicos que passaram pela medicina interna do HMSJ hoje atuam tanto na unidade, como no Regional e hospitais privados. Há também residentes formados aqui que trabalham em hospitais de todo o Brasil e até do exterior, onde buscaram cerificação adicional do local”, comenta o doutor Schwingel. *Com informações da Prefeitura de Joinville