Apesar dos bons índices de desenvolvimento humano de Jaraguá do Sul, os números relativos ao HIV são preocupantes. No município, a média é de 50,9 casos a cada 100 mil habitantes. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde e refletem a realidade da cidade entre os meses de janeiro e novembro de 2017. Em 2016, essa mesma média chegou a 60. O índice está acima das médias nacionais e estaduais, que são de 20,7 e 34 casos para cada 100 mil habitantes, respectivamente. Neste ano, foram notificadas 87 pessoas infectadas pelo vírus HIV no município, sendo 64 homens e 23 mulheres. A faixa etária mais vulnerável tem entre 20 e 34 anos. O Dia Mundial de Luta Contra a Aids, celebrado nesta sexta-feira (1), também é o pontapé inicial para o Dezembro Vermelho. Durante o mês, será comum se deparar com cartazes informativos, campanhas e ações de saúde na comunidade que buscam a conscientização da sociedade sobre as formas de se proteger contra o vírus. A incidência de casos, conforme a coordenadora da campanha de combate à Aids, Fabiane da Silva Ananias, não aumentou somente pelo acesso fácil aos testes rápidos. “As pessoas sabem como se prevenir ou diagnosticar, mas muitas vezes não se preocupam porque acham que não vai acontecer com elas e não se protegem. É necessário se sensibilizar com a questão”, avalia Fabiana. Segundo Fabiane, o cenário local que antes era predominado por heterossexuais mudou e, cada vez mais, atinge homens que mantém relações sexuais com homens. “O sexo anal aumenta a exposição ao vírus”, observa a coordenadora. Fabiana ressalta que, com o avanço da medicina, as pessoas conseguem ter qualidade de vida mesmo com o vírus HIV. “O mais complicado é enfrentar o preconceito. Muitos ainda são demitidos ao revelarem que têm o vírus ou são excluídos da roda de amigos. Outros optam em não contar por medo de ouvirem piadas, por exemplo”, aponta. Nos cinco municípios da microrregião, cerca de mil pessoas vivem com o vírus. Estas pessoas, conforme a coordenadora, seguem o tratamento corretamente.
Uso de preservativos ainda é divulgado como o meio mais seguro para evitar-se o contágio e as doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o HIV | Foto Eduardo Montecino/OCP
  Diminuir preconceito contra pessoas com HIV também é foco de campanha Neste ano, a Secretaria de Saúde, além de buscar diminuir o preconceito da sociedade perante as pessoas que vivem com vírus HIV, terá foco na prevenção combinada. O objetivo, conforme a coordenadora da campanha de combate à Aids, Fabiane da Silva Ananias, é mostrar que existem diferentes formas de cuidar da saúde. Além do uso da camisinha, considerado o método mais eficaz para evitar o contágio, os testes rápidos são fundamentais para o diagnóstico precoce econsequentemente, para melhorar os resultados do tratamento. Recentemente, o Ministério da Saúde também liberou a distribuição da PEP (Profilaxia Pós-Exposição) nos hospitais para as pessoas que se expuseram ao vírus. “Toda pessoa que teve uma relação sexual sem proteção pode procurar pelos hospitais do município e solicitar a medicação até 72 horas após o ato. Para recebê-la, o paciente irá fazer o teste rápido, para ver se já não contraiu o vírus. Caso o resultado dê negativo, ela deverá tomar a medicação por 28 dias. No fim do período, um novo teste é realizado”, explica Fabiana. A coordenadora atenta que a PEP não substitui a camisinha e, se usada em excesso, pode causar efeitos colaterais em longo prazo. Até então, a medicação era disponibilizada apenas para profissionais de saúde que foram expostos ao vírus ou pessoas que tiveram relações sexuais não consensuais. Em breve, a PEP deve ser distribuída também nas unidades de saúde. A secretaria ainda orienta que os exames para HIV sejam feitos durante o pré-natal com o intuito de evitar a transmissão do vírus para o bebê. “Desde 2008, não registramos nenhum caso de criança que tenha nascido com o vírus em Jaraguá”, pontua Fabiana. Para conscientizar a população sobre o preconceito, a Secretaria de Saúde irá divulgar ao longo do mês vídeos com relatos de pessoas que contraíram o vírus HIV. As imagens foram gravadas por atores. Os pacientes preferiram não se identificar. Testes rápidos Nesta sexta (1) e sábado (2), das 10h às 22h, equipes da Secretaria de Saúde estarão fazendo testes rápidos no Jaraguá do Sul Park Shopping. No Serviço de Atenção Especializada (rua Jorge Czerniewicz, bairro Czerniewicz) os exames podem ser feitos diariamente, durante horário de atendimento (das 7h30 às 12h e das 13h às 16h30). As unidades de saúde também oferecem o serviço.