As obras de reforma na antiga Casa de Saúde do Rio Maina, em Criciúma, estão aceleradas.

O local será transformado em um Centro de Retaguarda de Tratamento para pacientes diagnosticados com a Covid-19.

As obras de reforma e adequação dos ambiente, iniciaram no sábado (28), após a publicação do decreto municipal nº 408/20, que requisita o imóvel para o novo funcionamento.

A expectativa é de que até a próxima sexta-feira (10), 37 leitos estejam disponíveis para atender eventuais pacientes.

“Começamos os trabalhos pela avaliação da cobertura. Com a armação em bom estado de conservação, iniciamos a remoção de telhas e forros. Depois a remoção de pisos, forro, telha e piso. Definido o uso de cada ambiente, pela equipe médica da Saúde, partimos para os projetos, elétrico, da subestação, de gases medicinais e prevenção contra incêndio”, explicou a secretária de Infraestrutura, Planejamento e Mobilidade Urbana, Kátia Smielevski.

Juntamente com equipe médica, a obra foi dividida em três etapas: ala de quarto de corte com 37 leitos, ala semi-intensiva e quarto de isolamento, somando 20 leitos, ala dois de quarto de corte com mais 118 leitos.

“E mais todos os ambientes de apoio, posto de enfermagem, depósito e outros. A primeira etapa já está recebendo piso, instalações elétrica e de gases, telhas e pintura”, completou a secretária.

Doação de materiais para a reforma

Receber o apoio da população e das empresas da região é essencial para o enfrentamento do novo coronavírus.

O município já recebeu doações de telhas de fibrocimento, piso cerâmico, entre outros materiais, de empresas como Embralit e Sindicato da Indústria da Construção Civil de Santa Catarina (Sinduscon).

Além disso, a Celesc fará toda a instalação elétrica externa do local, com a implantação da subestação e alimentação de energia elétrica da estrutura.

Informações sobre a situação do coronavírus em Criciúma, como ajudar e as doações recebidas podem ser encontradas no site covid19.criciuma.sc.gov.br.