Por Verônica Lemus | Foto Eduardo Montecino Os municípios da regional de Jaraguá do Sul aguardam o repasse de recursos do governo do Estado para a realização do mutirão de cirurgias. Segundo o secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, o Ministério da Saúde liberou na semana passada quase R$ 8,4 milhões para a campanha de cirurgias eletivas de Santa Catarina, montante que será dividido entre os municípios do Estado. Na microrregião, a campanha deverá realizar 516 cirurgias eletivas, a um valor aproximado de R$ 279 mil. A divisão das cotas foi realizada em março, por profissionais da Saúde dos cinco municípios da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Jaraguá do Sul e técnicos da Gerência de Saúde, conforme o número de habitantes. Caropreso não estimou um prazo para o repasse da verba, que deverá ocorrer quando o dinheiro estiver em caixa, pontuou o secretário. Para a realização das cirurgias ao longo do ano, Caropreso informa que a secretaria deverá contar com cerca de R$ 2 milhões ao mês, vindos de um fundo de apoio às cirurgias eletivas da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). “Também estamos tentando convencer o governador (Raimundo Colombo) para usarmos recursos próprios da SES (Secretaria de Estado da Saúde). Capturar Estamos vendo quanto por mês poderíamos usar”, destaca o secretário de Estado. “O objetivo do mutirão é reduzir as filas de espera”, afirma o secretário municipal de Saúde, Jonas Germano Schmidt. Segundo ele, o recurso extra é necessário para realizar procedimentos além do que é rotina e reduzir as filas de espera. Mais de 3,2 mil pessoas esperam por procedimentos Conforme dados do portal da Saúde de Jaraguá do Sul acessados ontem pela reportagem do OCP, existem 3.262 pessoas aguardando para realizar algum procedimento em Jaraguá do Sul. Dos 12 grupos de cirurgias elencados, as de ginecologia, catarata, otorrinolaringologia e ortopédicas são os procedimentos de maior demanda no município, somando 2.642 pessoas, o que representa quase 81% do total. Quanto à estimativa de prazo para os atendimentos – que considera a média dos últimos três meses – o tempo de espera varia. Apenas as de urologia têm um prazo de espera inferior a 30 dias. Já as maiores filas são para os procedimentos de mastologia, com média de cerca de 19 meses e meio, seguido por catara com prazo de 11 meses e ginecológica com tempo de espera de 10 meses e meio. Em Jaraguá do Sul, a previsão é de que sejam realizadas 293 cirurgias eletivas no mutirão, sendo 143 no Hospital São José e 150 no Hospital e Maternidade Jaraguá, conforme a divisão das cotas feita há dois meses. Para o primeiro hospital, seriam destinados R$ 126,3 mil para a realização de 59 cirurgias gerais, 63 da área de ortopedia, quatro de urologia/mastologia e sete gerais. Já para a segunda entidade, o montante previsto é de R$ 122,1 mil, para 53 procedimentos de clínica geral, 30 de ginecologia, 21 de ortopedia, 15 de oftalmologia (catarata), 15 de otorrinolaringologia e seis de especialidade múltipla.