A combinação de investimentos e projetos pedagógicos tem dado resultados em São José. Com um trabalho focado de toda a equipe da Educação, o Município tem conseguido reverter índices como o de evasão escolar, reprovação e distorção - que é quando o aluno está em uma turma fora do ano correspondente à sua idade. Além disso, a rede municipal de ensino conquistou um salto no último Ideb, superando as expectativas do Ministério da Educação para 2022. Segundo a secretária municipal de Educação, Lilian Sandin Boeing, os índices de reprovação, evasão escolar e distorção nos últimos anos, diminuíram significativamente, devido a uma série de investimentos como a qualificação dos profissionais, atendimentos realizados pelos profissionais da Secretaria de Educação e o envolvimento das famílias com a escola. Desde o ano de 2013, o histórico de distorção, caso em que os alunos estão nas turmas fora do ano correspondente à idade, o índice era de 17,2%. Esse percentual caiu para 1,8% em 2018 nos anos iniciais (do 1º ao 5º ano) e passou de 23,2% para 6,9% dos anos finais do ensino fundamental (do 6º ao 9º ano). Já as estatísticas de reprovação e evasão escolar também foram reduzidas, beneficiando as crianças e adolescentes da rede municipal. Nos anos iniciais do ensino fundamental, em 2013, 10,6% dos alunos não conseguiram concluir o estudos. Em 2017, o número caiu e a taxa passou para 2,8%. Nos anos finais do ensino fundamental, 26,8%, dos alunos da rede municipal abandonaram a escola no Município em 2013. No fim do ano letivo de 2017, após os trabalhos desenvolvidos pelos CEMs e pela Secretaria Municipal de Educação, apenas 6,5% dos alunos abandonou o ensino ou reprovou.
Um dos destaques é o projeto Tempo de Aprendizagens que hoje atende a 278 alunos da rede municipal de ensino | Foto Divulgação
Para a secretária de Educação, um das iniciativas destaque é o projeto TAS – Tempo de Aprendizagens, que tem como foco as turmas do ensino fundamental. “Estamos o tempo todo trabalhando e desenvolvendo alternativas para levar uma educação de qualidade para as crianças e adolescentes da rede municipal. Temos projetos como o TAS, que auxiliam os alunos e que trazem bons resultados para o município e para o futuro deles”, destaca Lilian. Criado em 2015, o TAS tem a proposta de auxiliar os alunos da rede municipal que estão nas turmas fora do ano correspondente à idade a aprimorarem seus conhecimentos, derrubando as estatísticas negativas a respeito do ensino. Com base nos fundamentos teóricos e curriculares, os alunos são selecionados a partir de dois anos de diferença entre a turma e a idade, quando se estabelece um quadro de distorção escolar. Atualmente, 14 turmas das unidades escolares participam do projeto. Sendo 13 turmas dos anos finais do ensino fundamental e apenas uma dos anos iniciais, totalizando 278 alunos atendidos. Ideb Os avanços nos indicadores educacionais de São José já haviam se evidenciado na divulgação do último Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Em 2015, o Município conseguiu superar a nota estabelecida pelo Ideb de 6,0, para os anos iniciais, meta prevista para o ano de 2022 no Brasil, alcançando a nota 6,2. Nos anos finais do ensino fundamental, os índices foram menores, representando 5,1, seis pontos abaixo do previsto pelo MEC (5,7). Mas a Educação em São José, de 2013 para 2015, conseguiu melhorar a perspectiva dos alunos e subiu o desempenho de 3,8 para 5,1, respectivamente.