O Projeto Rede Integrada de Transporte Coletivo Metropolitano vai beneficiar 150 mil usuários e trazer melhorias para o trânsito, com a integração municipal e intermunicipal entre oito cidades do Estado. Águas Mornas, Antônio Carlos, Biguaçu, Governador Celso Ramos, Palhoça, São José, São Pedro de Alcântara e Santo Amaro da Imperatriz. Para prestar apoio na articulação com o Governo do Estado para aprovação do projeto,  o grupo gestor do Conselho Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis, Comdes, reuniu-se com o superintendente geral da Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Florianópolis, Cássio Taniguchi. Para o coordenador do Comdes, Ernesto Caponi, a implementação é uma medida urgente e o conselho será persistente com o Governo do Estado para viabilizar a concessão do projeto. “Além de impactar positivamente no desenvolvimento econômico das regiões, diminuirá os congestionamentos e o tempo de deslocamento entre os municípios”, completou o coordenador. A proposta elaborada pela Suderf, em parceria com o Observatório da Mobilidade Urbana da UFSC, foi aprovada em fevereiro deste ano, discutida com técnicos das prefeituras municipais e apresentada à população. Os prefeitos da Grande Florianópolis manifestaram apoio à proposta de mobilidade urbana, mas agora é necessário urgência para concessão da rede integrada de transporte coletivo metropolitano para não perder as parcerias municipais. O projeto será discutido, ainda, pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina. Depois de licitado a empresa tem 6 meses para iniciar a aprovação.