Após a publicação da Portaria Nº 37/2021, que autoriza a retomada da presença do público na Câmara de Vereadores de Criciúma com restrições, ocorreu nesta terça-feira (13) a Tribuna Livre durante a Sessão Ordinária.

Voluntárias da Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC), a convite do vereador Daniel Antunes (PSL), falaram sobre o plano de trabalho, tempo de existência e situação atual da instituição. O principal objetivo da RFCC é conscientizar as mulheres sobre os exames preventivos do colo do útero e mama.

“Nós coletamos de 1,2 mil a 1,5 mil preventivos, por ano. Nós realizamos a cauterização das mulheres que estão com lesão no colo, inserção do DIU em mulheres que estão com câncer de colo do útero, fizemos o esvaziamento do cisto de mama. Isso é gratuito. Se, hoje, você for fazer isso é R$ 600, mas a Rede faz gratuitamente. A colposcopia, biópsia de colo uterino e de mama, só quem faz é a Rede de Criciúma”, comentou a enfermeira Sandra Mara Machado.

A Rede é constituída por 60 voluntárias, mas por conta da pandemia a instituição, atualmente, tem contado com apenas 11 delas, já que a maioria faz parte do grupo de risco. Conforme Sandra, não é só isso que tem preocupado as voluntárias.

“A maior dificuldade da Rede é um profissional de saúde. Elas precisam de uma enfermeira que faça 8 horas”, contou. Também estiveram na Câmara, a presidente Rosa Maria Bernardine e a 2ª secretária Arlete do Nascimento.

Ao final do tempo da Tribuna Livre, o vereador e líder de Governo no Legislativo, Nícola Martins (PSDB), comunicou o convite às voluntárias para uma reunião na Prefeitura nesta quarta-feira (14), às 9 horas, para tratar do novo convênio entre RFCC e Poder Executivo.