Chegou o momento de sentir saudades da Schützenfest. Após 11 dias com 50 bandas, muito chope, gastronomia germânica e apresentações que encantaram o público, a Festa dos Atiradores chegou ao fim com recordes.

Desde o dia 8 de novembro, 98.560 pessoas passaram pelo Parque Municipal de Eventos, 96.360 tiros foram disparados e 45.1541 copos de chope foram consumidos.

O estouro dos balões verde, vermelhos e amarelos pelo público e a canção "Linda Jaraguá" foram o enlace final da 30ª edição da Schützenfest na noite de domingo (18).

A edição  foi especial por vários aspectos, não somente pelo número redondo: as crianças e idosos tiveram uma participação mais ativa e a população entrou no espírito da festa, colorindo o Parque de Eventos com os trajes típicos, segundo a Comissão Central Organizadora (CCO).

Mesmo antes da abertura, a organização da Schutzen falava que o principal objetivo desta edição era relembrar as pessoas que no momento mais difícil fizeram a festa acontecer.

Por isso, as noites de festa foram permeadas por homenagens aos idealizadores, a todas as majestades da beleza, reis e rainha do tiro e a todos os homens que já foram o mascote oficial da festa, o Wilfred.

2018

Público: 98.560
Copos de chope: 145.154
Tiros: 96.360

2017

Público: 91.238
Copos de Chope: 132.513
Tiros: 88.817

Schützen para todos os públicos

"Cansado, rouco, mas com muita felicidade no coração", é assim que se define o presidente da CCO, Alcides Pavanello, após a conclusão da 30ª Schützenfest. Ele parabenizou a equipe de 35 pessoas que trabalhou incansavelmente por 10 meses para não deixar em branco esse número mágico.

"Foram muitos detalhes, alguns pequenos, mas que fizeram a diferença na hora da festa", frisa.

Alcides comenta que a diversidade de pessoas que compareceram ao Parque Municipal de Eventos foi algo inédito. "A juventude com trajes típicos, muitas famílias, idosos, crianças. Realmente foi uma Schutzen especial", relata.

Foto Divulgação

Ao falar do futuro da festa mais tradicional da cidade, o presidente da CCO ressaltou a importância de repensar alguns aspectos para as próximas edições, para que ela seja diferente e não caia na mesmice. "A ideia é montar uma equipe que já comece a organizar a festa do ano que vem", conta.

Tiro esportivo cresceu

Para essa edição especial foi realizado algumas mudanças prevendo a segurança da prática que originou a festa: o tiro esportivo.

O presidente da Associação de Clubes e Sociedades de Tiro do Vale do Itapocu, Sido Hornburg, comenta que, por conta de problemas em anos anteriores, eles delimitaram o tempo para os disparos até a meia noite.

Mesmo com menos tempo para atirar, foram disparados 96.360 tiros, cerca de 10 mil a mais do que a marca registrada em 2017. Nos 11 dias de evento, foram 736 postos de trabalho preenchidos. Hornburg fez questão de agradecer as pessoas que contribuíram.

"Foi devido ao engajamento dos voluntários que conseguimos essa marca histórica", relata.

Segundo Hornburg, todo ano a associação busca trazer algo diferente e eles já vem pensando em coisas para mudar em 2019. A fila única foi uma novidade comemorada por ele, trazendo uma agilidade nos estandes.

Foto Divulgação

Nesta edição, a média divulgada pela organização foi que 60 pessoas demoraram em média oito minutos para atirar, mas Hornburg quer elevar esses números. "Podemos fazer com que 80 pessoas levem oito minutos para atirar, assim queremos chegar nos 100 mil tiros", enfatiza.

E para atingir a marca, Hornburg conta com a participação de novas sociedades de tiro. Em 2018, já teve a Rio Camarada, de Schroeder, como novidade e já existem sociedades conversando para entrar na ACSTVI.

"Hoje contamos com 20 estandes de chumbinho, dois de seta e três de arco e flecha. Com mais sociedades é possível aumentar esse número.

Casal conquista faixas de Rei e Rainha dos Atiradores

Cláudio Ivair Schmidt, 41 anos, passou os dias da festa fora dos holofotes, nos bastidores acompanhando a esposa de perto, Ináurea Reinke Schmidt, 38 anos, que era a rainha do tiro da 30ª edição. Mas em 2019, Cláudio vai mudar de papel, já que foi coroado como o novo rei do tiro.

Inaúrea, pela segunda vez consecutiva, será a rainha do tiro, algo inédito na história da festa. Ambos representam a Sociedade Independência, localizada no Jaraguazinho, no bairro Garibaldi.

Foto Divulgação

Marido e mulher conquistarem os títulos de Rei e Rainha dos Atiradores, o que também acontece pela primeira vez. Mas essa ideia já pairava pela cabeça dos dois há mais de 20 anos.

"Muitas vezes chegamos perto de conquistar esse feito, mas felizmente agora conseguimos. É uma alegria que não cabe no peito", comenta Ináurea.

Claudio diz que o título é a coroação do trabalho que os dois vem realizando dentro dos clubes, não só no deles. "Temos um longo caminho no envolvimento do tiro. Por isso que a felicidade da conquista se torna ainda mais especial", fala.

Ao ser coroada como rainha, Ináurea não conseguiu conter a emoção. E motivos pelas lágrimas dela não faltam - além de ver o marido recebendo o prêmio, ela recebeu a faixa das mãos da mãe Ivanilda, a quem agradeceu pelo apoio.

Schützenfest com novo trio da beleza

Visivelmente emocionada e sob aplausos de uma gigantesca plateia que se formou no Pavilhão A, Jaise Franzner Frotscher, 21 anos, foi eleita a Rainha da 31ª Schützenfest, representando a Sociedade Rio da Luz - Salão Barg.

A próxima edição da Festa dos Atiradores terá como primeira princesa Joyce Caroline Brümüller, de 19 anos, da Sociedade Independência, e a segunda princesa será Samara Soshammer, de 18 anos, da Sociedade Bandeirantes.

Foto Eduardo Montecino/OCP News

Orgulho, esse é o sentimento que Jaise diz carregar depois de ser anunciada como nova rainha. Ela fez uma menção especial a sua sociedade, pela confiança e apoio dado a ela. Jaise também agradeceu sua família, amigos e as pessoas que de alguma forma contribuíram para a festa.

"Estou extremamente feliz, é um sentimento de agradecimento muito grande mesmo", ressalta.

No dia da escolha das novas majestades, a organização preparou uma homenagem especial as 29 rainhas anteriores e os 13 homens que já foram o mascote da festa, o Wilfred.

Cobertura da Rede OCP

Ao longo dos 11 dias da maior Festa de Atiradores do Brasil, os repórteres do OCP News, Dyovana Koiwaski e William Fritzke, trouxeram curiosidades sobre a gastronomia, tiro esportivo, os bastidores da festa. Além disso, eles fizeram coberturas especiais da abertura, tarde da melhor idade e o desfile das majestades.

Foto Reprodução/OCP News

Ao todo foram nove vídeos - oito deles publicados no Facebook. A cobertura atingiu 20.286 visualizações, dando uma média de 2,5 mil visualizações para cada vídeo público na rede social.

Além disso, nos dois últimos dias, foi feita duas lives que juntas tiveram 16,2 mil pessoas assistindo. Os vídeos contaram com a ajuda do repórter cinematográfico e editor de imagens da Rede OCP, Adilson Amorim.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?