Quase 10% dos testados já foram infectados pelo coronavírus em Siderópolis
Quase 10% dos testados já foram infectados pelo coronavírus em Siderópolis

Os resultados da pesquisa aplicada pela Unesc em Siderópolis com foco na avaliação da prevalência de Covid-19 na população adulta da cidade foram apresentados para as lideranças municipais.

Os números, resultado das 587 coletas de sangue analisadas, apontaram que 9,4% das pessoas testadas já tiveram a infecção por coronavírus, divididas entre as que já estavam curadas e as que ainda enfrentavam a doença na data da testagem.

A pesquisa, liderada pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSCol), em parceria com os cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc e a Secretaria Municipal de Saúde de Siderópolis, foi realizada por uma equipe multiprofissional em visitas domiciliares realizadas de 14 de setembro a 22 de outubro.

A equipe de pesquisadores é formada pelas professoras do PPGSCol e do curso de Enfermagem, Cristiane Damiani Tomasi e a reitora Luciane Bisognin Ceretta; pelo coordenador do curso de Biomedicina, Emanuel de Souza; pela coordenadora adjunta do curso de Enfermagem, Mira Dagostim e pela professora do PPGSCol, epidemiologista, Vanessa Iribarrem Avena Miranda.

O grupo é integrado ainda por acadêmicos dos cursos de Biomedicina e Enfermagem da Unesc.

Entre os profissionais que integraram a equipe que realizou a pesquisa de campo esteve o acadêmico da 9ª fase do curso de Enfermagem, Alessander Possoli, morador de Siderópolis. Para ele, a oportunidade foi recompensadora.

"Considero uma oportunidade de grande valia, pois nos proporcionou novas experiências e vivências nesta área e agregou em nossa formação. Pude colaborar na construção de novas estratégias de combate à Covid-19 e posteriormente a diminuição da transmissão da minha própria cidade", pontuou.

Em prol da comunidade

A utilização da expertise da Universidade em prol de pesquisas como esta, para a reitora da Unesc, é colocar a Instituição à serviço daquela que é o seu foco: a comunidade.

"Nossa equipe de pesquisadores é altamente competente e conta com estratégias metodológicas bem elaboradas e de reconhecimento nacional. O resultado apresentado mostra dados claros e confiáveis que serão fundamentais para análises de ações imediatas e futuras", acrescentou Luciane Ceretta.

Na avaliação do prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, Alemão, os dados apontados pela Universidade são de grande valia para o município.

"Temos que continuar vigilantes e preparados para uma segunda onda que, como está acontecendo na Europa, pode nos atingir. Vamos extrair dados e sugestões da pesquisa que irão nos ajudar a proteger a população de Siderópolis", destacou.

Realidade do município

Ao receber esses, que foram os primeiros resultados da pesquisa, conforme Cristiane Tomasi, a prefeitura passa a contar com dados essenciais na formulação de estratégias de enfrentamento e organização dos serviços.

Fotos: Divulgação

O panorama apresentado na pesquisa, conforme Cristiane, retrata exclusivamente o cenário da cidade.

"Apesar de estarmos numa mesma região, cada localidade tem sua peculiaridade. Nós poderíamos replicar o estudo em outros municípios e aí poderíamos ver se na região o resultado se comporta do mesmo modo", esclareceu.

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul