O médico psiquiatra Antonio Teobaldo Magalhães Andrade, acusado de estuprar uma paciente durante uma consulta em um posto de saúde de Joinville, foi condenado pela Justiça.

Ele deverá cumprir pena de 12 anos, cinco meses e 10 dias de reclusão, em regime fechado. Além disso, terá de indenizar a vítima em R$ 25 mil por danos morais.

O réu, que já estava preso preventivamente, não poderá recorrer da sentença em liberdade.

 

 

Na denúncia, o promotor Germano Krause de Freitas alegou que o médico se aproveitou da fragilidade da paciente, que procurara por atendimento psiquiátrico na rede municipal de saúde devido à sua depressão.

Conforme a denúncia, ele teria feito várias perguntas de ordem pessoal à paciente e abusado dela depois de trancar o recinto.

Ainda após o estupro, o psiquiatra, à época com 64 anos, ainda teria ameaçado a vítima, dizendo que ela não poderia fugir nem adotar qualquer medida contra ele, pois ele teria os dados pessoais dela.