A cerimônia de entrega do prêmio Práticas Inovadoras da Saúde de Joinville foi realizada nesta quinta-feira (27), na Unisociesc. O objetivo da premiação é a busca pela constante melhoria dos serviços prestados, além de integrar servidores por meio da troca de experiências.

Esse é o sétimo ano consecutivo que a Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria da Saúde, promove o prêmio.

 

 

“Vocês já são campeões pelo simples fato de pensarem, imaginarem, elaborarem um projeto e realizarem. Quanto mais pudermos incentivar projetos como esses, vamos fazer para que a gente possa avançar em práticas evolutivas. Os projetos buscam a melhoria constante do atendimento ao cidadão, com políticas construídas aqui que podem se tornar estaduais e nacionais”, afirma o prefeito de Joinville, Adriano Silva.

O evento começou com a apresentação da Escola Municipal Pedro Ivo Campos, com a coreografia Caboclinho, da coreógrafa Elisiane Wiggers. A coreografia foi vencedora da 39ª edição do Festival de Dança de Joinville, na categoria Danças Populares.

Nesta edição, foram 50 trabalhos inscritos, 48 homologados e 10 selecionados por uma banca avaliadora formada por médicos, docentes de diferentes áreas da saúde, além de representantes do Conselho Municipal de Saúde. Nesta edição do prêmio, houve um recorde de trabalhos inscritos.

“Queremos reconhecer o servidor pelo que ele faz de melhor no seu dia a dia. Joinville é sempre reconhecida pela inovação e qualidade dos seus serviços de saúde. Essa premiação traz programas para melhorar as políticas públicas inclusive no âmbito nacional. Estamos desenvolvendo cada vez mais a inovação nos nossos serviços e poderemos prestar um atendimento melhor para a população”, avalia o secretário de Saúde, Andrei Kolaceke.

Premiação é dividida em dois eixos

No eixo 1, Assistência a Saúde, o primeiro lugar ficou com a equipe de Natalino Cezar Clausen, Luciane Haritsch, Maiara de Oliveira e Letícia Galam Yamoto com o trabalho “Acesso Facilitado à Inserção do DIU na Atenção Primária: Um direito das mulheres”.

O trabalho, desenvolvido na UBSF Itinga, tem o objetivo de ampliar o acesso ao DIU nas Unidades Básicas de Saúde de Joinville.

Os servidores criaram um fluxograma com acolhimento, avaliação, descarte de contra indicação, orientação e avaliação com o papanicolau. Foram realizadas 113 inserções de DIU em todas as unidades.

“Podemos fazer a diferença e atender bem na saúde em todos os cantos de Joinville”, disse o médico Natalino Cezar Clausen.

Em segundo lugar nesse eixo ficou o trabalho “Jogo Sério para Treinamento Adaptado para Pacientes Hemiparéticos Pós-AVC na fase hospitalar”, de Fabiane Maria Klitzke dos Santos, Ana Paula Marcelino de Aquino, Helton da Silva e Bruna de Castilho.

No eixo 2, Gestão e Informação em Saúde, o primeiro colocado foi o trabalho “Inovação na Fiscalização de um Contrato: Um Olhar Atento para Otimização do Recurso Público”, de Poliana Werneck de Capistrano Schotten, Edenilson Dorffmuller e Flavia Marchi.

O projeto propôs acompanhar contratos de prestadores de serviços em análises clínicas, levantar evidências e corrigir para manter a eficiência. Eles fizeram estudos investigativos, orientação e monitoramento com os prestadores de serviço.

Conseguiram substituir guias físicas por outras ferramentas, criar parcerias, integrar sistemas e melhorar o procedimento de trabalho, com segurança sobre a fiscalização da execução do contrato.

“O recurso mais valioso que a Secretaria de Saúde tem é o seu servidor”, diz a terapeuta ocupacional Flávia Marchi.

O segundo lugar ficou com o trabalho “Regulação da Psiquiatria no Município de Joinville/SC - Descentralização da Especialidade para APS”, de Flavia Schwinden Muller e Martha Maria Artilheiro.