Profissionais do setor de eventos do Sul do Estado farão uma manifestação nesta terça-feira (22), em Criciúma, pedindo que sejam ouvidos pelas autoridades governamentais e que o retorno, com regras sanitárias, de todos os tipos de eventos seja permitido.

Na última sexta-feira (18), O Governo do Estado publicou portarias que estabelecem critérios para retorno gradual e monitorado de eventos, congressos, concursos públicos, cinemas, teatros, museus, feiras e exposições. Mas, as publicações não permitem retorno de eventos noturnos ou com pagamento de ingressos.

"Há duas semanas nós estivemos na Secretária de Saúde do Estado para elaborar um protocolo para a retomada das atividades do setor de eventos. Lá, nós preparamos esse protocolo para que todos retomem as atividades. Mas agora o Estado não liberou os eventos noturnos e com pagamento de ingressos", conta a empresária do ramo, Daiane Savi.

Liberações a partir do mapa de risco

As liberações levam em conta as Avaliações do Risco Potencial para a Covid-19 e as determinações da portaria 658. As regiões que apresentarem risco potencial gravíssimo ou grave continuam proibidas as realizações de qualquer um destes eventos, como é o caso da Região Carbonífera. As liberações ocorrem apenas diante do cenário de risco potencial alto, respeitando uma limitação de 40% de capacidade e risco potencial moderado, sendo permitida capacidade de até 60%.

"Muitos setores já tiveram baixas, já demitiram funcionários e já fazem seis meses que estamos sem atividades. Mesmo aqueles que recebem, por exemplo, seguro desemprego, já está chegando ao fim. Até no final do ano, se não houver um retorno, principalmente para o setor noturno de eventos, não se sabe como vai ser, o que pode acontecer", completou Daiane.

Manifestação no Parque das Nações

Para a minifestação grupo irá se concentrar no Parque das Nações e seguirá caminhando até o Terminal Central. Segundo o setor, um ofício será encaminhado na manhã desta segunda-feira (21) para a Prefeitura e a Polícia Militar para que haja permissão para a realização do ato.

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp